sábado, 20 de outubro de 2018

Arte Sacra em Mogi das Cruzes

Vai até final de Janeiro/ 2019 a Exposição "Arte Sacra em Mogi das Cruzes"
Na Pinacoteca de Mogi das Cruzes- SP, no horário das 08h às 17h - Entrada Gratuita

Endereço: Cel. Souza Franco, 993 - Centro Histórico, Mogi das Cruzes/SP - CEP 08710-020


sexta-feira, 19 de outubro de 2018

Assinatura de contrato garante reabertura e manutenção de museus (Cuiabá - MT)


Termos de colaboração foram celebrados para reabertura do Museu de Arte Sacra e manutenção do Museu Casa Dom Aquino.




A reabertura do Museu de Arte Sacra de Mato Grosso e a manutenção do Museu de História Natural Casa Dom Aquino foram formalizadas na quinta-feira (11.10) com a assinatura dos contratos de gestão dos respectivos museus pelo Governo de Mato Grosso, por meio da Secretaria de Estado de Cultura.



Para o Museu de Arte Sacra, a Secretaria de Estado de Cultura firmou o termo de colaboração de vigência de cinco anos com a Organização da Sociedade Civil (OSC) Associação dos Produtores Culturais de Mato Grosso, no valor total de R$ 2.880 milhões. Com o primeiro repasse de R$144 mil a ser realizado em até 10 dias após a assinatura, a OSC iniciará as ações imediatas para a reabertura do museu.

Segundo Viviene Lozi, diretora e presidente da OSC responsável pelo Museu de Arte Sacra, com esse primeiro repasse serão realizadas as reformas iniciais e adequações de acessibilidade para que o prédio tenha condições de receber a população. Ao mesmo tempo será feito também o inventário do acervo, catalogando todas as peças disponíveis no espaço.

A assinatura do termo de colaboração possibilitou que a OSC participe de alguns editais que irão complementar o recurso a ser disponibilizado pelo Governo do Estado. “Já tomamos conhecimento de editais como o Fundo de Defesa de Direitos Difusos (FDD) e do BNDES. Vamos tentar outras formas para ajudar no processo da gestão do espaço”, ressaltou Viviene Lozi.



O termo de colaboração para gestão e preservação do Museu de História Natural Casa Dom Aquino foi celebrado com o Instituto ECCOS, no valor total de R$ 4.560 milhões, também pelo prazo de cinco anos. Como o museu já está aberto, a primeira parcela do recurso, no valor de R$ 192 mil, vai assegurar a solução de problemas estruturais no espaço e a plena execução das atividades.

“O aporte inicial vai possibilitar um leque de programação no espaço, tanto enquanto museu como enquanto ponto de cultura. Agradecemos a oportunidade de continuarmos a trabalhar e reconhecemos o esforço do Governo do Estado e da Secretaria de Estado de Cultura para que o museu continue de portas abertas ao público”, expressou Cleide Arruda, presidente do Instituto ECCOS, no ato de assinatura.

Para o Secretário de Estado de Cultura, Gilberto Nasser, a assinatura dos termos de colaboração com as duas OSCs são consideradas uma meta de sua gestão. Há pouco mais de seis meses à frente da pasta de cultura, o secretário agradeceu a paciência dos envolvidos e comparou o acontecimento à realização de um sonho dele e de toda a sociedade.

“Reiteramos a alegria imensa que sentimos em poder realizar isso pra comunidade. Tenho certeza que essas OSCs vão oferecer um excelente trabalho de gestão nesses dois espaços de museu para que a comunidade possa vivenciar a cultura em nossa capital”, finalizou Nasser.

Fonte: MegaPop

quinta-feira, 18 de outubro de 2018

XVII Festival Internacional de Música e Arte Sacra

O Festival Internacional de Música e Arte Sacra em nome de Paulo VI

De 31 de outubro a 14 de novembro, a música sacra ressoa nas basílicas papais de Roma, com mais de seiscentos músicos de todo o mundo.

Nova edição do Festival Internacional de Música e Arte Sacra, que este ano também se congratula com músicos de todo o mundo para trazer a música nos lugares sagrados da beleza de Roma e o Vaticano: o São Pedro, São Paulo Fora dos Muros, Santa Maria maior e São João de Latrão sediará em 31 de outubro e, em seguida, 10-14 novembro seis eventos - admissão como sempre livre - em que o protagonista é a música sacra, a partir das canções mais antigas da tradição católica japonesa da música coral russo, a partir de repertório mais clássico para contemporâneas.

 Promovida pela Fundação Pro Musica e Arte Sacra, a décima sétima edição do Festival será dedicada a Paulo VI, cuja canonização acaba de ser celebrada. Eles serão chamados para músicos coleção de importância internacional, entre mais de 650 orquestras e coros, maestros e solistas da Filarmônica de Viena em orquestra de câmara deste ano, o maestro na residência do festival desde a sua criação em 2002.

Como parte do viagem ecumênica que a Fundação propõe através da música e da presença de conjuntos artísticos do mundo ortodoxo e protestante. A inauguração da quarta-feira Festival, 31 de outubro, na Basílica de São Paulo Fora dos Muros é então confiada a duas formações jovens, para o primeiro festival convidados de países de diferentes continentes, a tradição religiosa predominantemente protestante, que se reúnem através de a música no dia "Reforma": os noruegueses são o conjunto instrumental Trondheim Solistene e, de Minnesota, o coral que reúne sessenta dos coros americanos mais importantes. Eles vão executar duas peças de Kim André Arnesen, particularmente apreciados para o repertório de música sacra e coral contemporânea.

 O festival vai ser ao vivo, 10 de novembro, na Basílica de São Pedro, no Vaticano, com uma elevação espiritual confiada a música de Messe Solennelle de Sainte-Cécile por Charles Gounod, realizada pela primeira vez em 1855. Para interpretar os solistas e o complexo japonês de 'Illuminart Philharmonic Orchestra e Illuminart Chorus, dirigido por Tomomi Nishimoto. Após a missa celebrada pelo cardeal Angelo Comastri, embelezado por canções antigas, testemunho musical das primeiras comunidades cristãs no Japão, e as apresentações musicais do Coro da Capela St. Petersburg dirigido por Vladislav Chernushenko.

Domingo, 11 de novembro serão os mesmos grupos japoneses musicais, desta vez para São Paulo Fora dos Muros, para enfrentar uma das maiores obras-primas da música sacra: Messa da Requiem de Giuseppe Verdi que compôs para o primeiro aniversário da morte de Alessandro Manzoni. Também as vozes solistas japoneses, com Misaki Takahashi (soprano), Takako Nogami (mezzo), Naoki Nizuka (tenor) e Takashi Masu (barítono). O concerto será dedicado a Don Luca Pellegrini, um amigo da Fondazione Pro Musica e Arte Sacra, o jornalista e homem de cultura, que trabalhou por mais de dez anos do festival.

Sempre aberto às tradições musicais sagradas de outros países, pela primeira vez o Festival acolhe o Coro da Capela de São Petersburgo, uma formação cujas origens remontam a 1479, dirigido por Vladislav Chernushenko há mais de quarenta anos. A consulta é para segunda-feira, 12 de novembro, na Basílica de Santa Maria Maggiore, em um concerto muito sugestivo dedicado à antiga música coral e espiritual russa. E todos os anos o concerto da Wiener Philharmoniker é esperado, este ano presente no Festival em treinamento de câmara. Em São Paulo fora dos muros, na terça-feira, 13 de novembro, a Sinfonia nº. 4 por Gustav Mahler, composto em 1900, quando o músico estava no comando da equipe vienense. A voz solo será Mojca Erdmann.

Vida celestial Fechando quarta-feira 14 de novembro, na Basílica de São João de Latrão encabeçada por Justus Frantz, que retorna ao Festival com a Philharmonie der Nationen que fundou e formada por músicos de todo o mundo, de todas as crenças políticas e religiosas, na crença de que brincar juntos é também uma mensagem universal de paz e conhecimento. E não há melhor música como a Nona Sinfonia de Beethoven para expressar a alma dessa orquestra. Com eles a Singverein wiener, grupo coral dos mais famosos do mundo, e solistas Soojin Lua Sebastian (soprano), Qiulin Zhang (alto), Paulo Ferreira (tenor) e Germán Olvera (barítono), quatro jovens vozes, mas já incluídos no cena musical internacional. www.festivalmusicaeartesacra.net -

Informações: http://www.rainews.it/dl/rainews/articoli/musica-sacra-festival-Roma-basiliche-papali-Verdi-Mahler-Wiener-Philharmoniker-1f86be37-438f-406a-80a2-29238d6e6eb5.html

Fonte: RAI News

quarta-feira, 17 de outubro de 2018

"Iluminando o Renascimento: o triunfo da pintura de manuscrito Flamengo na Europa."



Sabia que a idade de ouro da iluminura flamenga começou tão cedo em 1467 e durou quase 100 anos até 1561? Saiba mais sobre as surpreendentes inovações feitas por iluminadores no manuseio de cor, luz, textura e espaço em "iluminando o renascimento: o triunfo da pintura de manuscrito Flamengo na Europa." leia online gratuitamente via Getty Publications: http://bit.ly/2qfc3wL

Fonte: Medieval Imago & Dies Vitae Idade Media e Cotidiano

sábado, 13 de outubro de 2018

Encontro sobre Arte Sacra



Em outubro realizaremos mais uma edição do Encontro Temático. Neste mês o tema abordado será a "Arte Sacra". A partir do acervo da antiga igreja de Nossa Senhora do Rosário, iremos explorar diversos elementos, dentre eles o barroco, o mobiliário religioso e o espaço litúrgico.
Haverá certificado para os participantes. O curso é voltado a todos aqueles que se interessem pela temática e acontecerá no dia 27/10/2018, das 9h às 12h. Gratuito. 

Acesse: https://goo.gl/forms/NeB2XQGdcLljHmDh2

Fonte: Museu de Arte Sacra dos Jesuítas

quarta-feira, 10 de outubro de 2018

Museu de Arte Sacra recebe exposição sobre Dom Paulo Libório - Teresina - PI

Pároco foi o primeiro bispo natural do Piauí e considerado um dos mais atuantes.

O Museu de Arte Sacra João Paulo Libório recebe a partir de quinta-feira (11) uma exposição sobre a vida do religioso Dom Paulo Libório, primeiro bispo natural do Piauí. A mostra estará aberta de segunda a sexta, de 9h às 17h, e aos sábados de 9h às 13h.

A exposição conta com diversos objetos que pertenceram ao pároco, considerado um dos mais atuantes da igreja piauiense. “Paramentos, objetos litúrgicos, documentos, colocando em evidências os objetos que ele usou”, finaliza Maria Amélia.

A diretora da casa, Maria Amélia Araújo, explica que a exposição "Memórias de Dom Paulo Libório - 105 anos" visa salientar a importância desse piauiense, que se destacou dentro da igreja. "Foi o primeiro bispo natural do Piauí, o primeiro bispo de Caruaru e o segundo bispo de Parnaíba, vigário geral na época de Dom Severino e reitor do seminário de Teresina, diretor do Colégio São Francisco de Sales, hoje Diocesano", destaca.
Museu de Arte Sacra recebe exposição sobre Dom Paulo Libório. Foto: Prefeitura de Teresina

Mantido pela Prefeitura de Teresina por meio da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves, o Museu de Arte Sacra Dom Paulo Libório fica localizado na Rua Olavo Bilac, 1481, no cruzamento com a Rua 24 de Janeiro. Ele abriga diversas peças religiosas, paramentos e itens da arquidiocese que retratam muito da história do Piauí.

Fonte: Rede Piauí
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...