quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Feliz Ano Novo!


Obrigado à todos os amigos e seguidores do blog pelo carinho ano longo deste ano!
Muita saúde, paz e sucesso em 2016! E muita Arte Sacra!

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

"Sagrada Família" (Doni Tondo) de Michelangelo


texto de LuDiasBH

Esta pintura foi encomendada a Michelangelo, em 1500, por um florentino de nome Agnolo Doni, por ocasião de seu casamento com Madalena Strozzi. O nome da obra, portanto, refere-se ao formato do quadro (tondo: redondo, circular) e ao sobrenome do cliente "Doni Tondo". A pintura é também conhecida como uma das primeiras obras pictóricas do artista.

Trata-se de uma composição complexa, com cores vibrantes e figuras monumentais. É tida como uma das obras-primas da arte ocidental. Nela não existe nada a lembrar-nos de que se trata de uma arte sacra. O pintor usou a forma piramidal, em vez de triangular, para resolver os problemas da corporalidade e do movimento das figuras, centralizando a Sagrada Família na composição. A obra foi executada como se fosse uma escultura, como se as figuras tivessem sido esculpidas num bloco de mármore.

O tema da obra é a Sagrada Família, que está unida de modo a criar uma composição viva. Em primeiro plano, a Virgem Maria, com os braços nus, levanta seu vigoroso Menino, usando uma torção difícil, para repassá-lo a seu esposo São José, que se mostra bem envelhecido, com suas longas barbas brancas e escassos cabelos, contrastando com a juventude exuberante da Virgem.

Próximo ao muro, entre a Sagrada Família e os nus, está o pequenino João Batista, quase esboçado, com suas vestes de pele de ovelha, segurando um galho seco, como se separasse o mundo pagão do divino, olhando extasiado para a Virgem Maria, São José e o Menino. Sua presença na pintura lembra que ele é o percussor da salvação, que virá através de Jesus Cristo.

Ao fundo está um grupo de cinco nus esculturais, que exibem belos músculos e apresentam luz sobre a superfície do corpo. Alguns críticos interpretam-nos como um grupo de neófitos, já despidos, esperando pelo sacramento do batismo. O fato é que a presença dos nus tem sido interpretada de maneiras diferentes. Para alguns, tratam-se de símbolos pagãos, simbolizando o mundo clássico, antes da chegada do Salvador, enquanto para outros tratam-se de figuras angelicais. Dizem também se tratar de figuras proféticas, anunciando a chegada da Igreja, que é simbolizada pela Virgem Mãe e São José, enquanto o Menino simbolizaria o mundo sob a graça de Deus. E São João Batista simbolizaria a união entre o mundo clássico e o cristão.

A Virgem é a figura mais volumosa da obra. Sua cabeça esta voltada para a direita, em direção ao filho, que brinca despreocupadamente com seus cabelos. São José, agachado, traz o corpo inclinado para a direita, com uma perna dobrada e a outra espichada. Ao longe, podem-se ver montanhas e um rio, possivelmente uma referência ao rio Jordão. O uso das cores vermelha, azul e amarela, matizadas nas zonas de intensa claridade, provocando diferenças tonais, será mais tarde vista nos maravilhosos afrescos da Capela Sistina.

Ficha técnica:
Data: c. 1504 -1506
Técnica: óleo sobre painel
Dimensões: 120 cm de diâmetro
Localização: Galeria dos Uffizi, Florença, Itália

Fontes de pesquisa:
Gênios da Arte/ Girassol
Grandes Mestres da Pintura/ Coleção Folha
Grandes Mestres/ Abril Cultural
Renascimento/ Taschen
Tudo sobre Arte/ Sextante
1000 Obras da Pintura Europeia/ Könemann
Os Pintores mais Influentes/ Girassol
Arte em Detalhes/ Publifolha
Góticos e Renascentistas/ Abril Cultural


***
Segue abaixo, um desenho meu sobre essa obra


terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Don Vicenzo Gatti, uma vida para a arte sacra (Itália)


Uma das últimas fotos de Don Vincenzo Gatti, enquanto ajudado por alguns amigos para até sua amada igreja de San Pietro


O padre Milanese morreu no último domingo, 27 de dezembro em Civate, onde por um longo tempo supervisionou a recuperação do complexo românico de San Pietro al Monte. Membro da "Família Beato Angélico", escreveu livros importantes sobre a arte cristã e liturgia.


Don Vincenzo Gatti

Um belo retrato de Don Vincenzo Gatti assinado por Chiara Castagna


No domingo, 27 de dezembro, em Civate morreu aos 80 anos Don Vincenzo Gatti, presidente da Associação "Amigos de San Pietro al Monte".

A ele devemos a revitalização do extraordinário complexo medieval: um projeto que ele acreditava há 40 anos, e havia envolvido um grande número de amigos e voluntários. O padre, natural de Cassano d'Adda, cerca de um ano ele foi hospitalizado na Casa dos Cegos em Civate.

Don Vincenzo foi um membro da Família Beato Angelico de Milão e professor na mesma fundação. A Arte era a sua paixão e são vários seus estudos sobre a arte cristã e liturgia. Por seus esforços em San Pietro al Monte, em 2014 foi premiado com a "Rosa Camuna" da Região da Lombardia.

"Era uma pessoa especial, o nosso guia por 40 anos - disse em nome da associação Amigos de São Pedro, agora presidente, Serafino Castagna - também foi uma pessoa em posição de autoridade, um líder que poderia tomar decisões e, ao mesmo tempo ele gostava de se cercar de pessoas simples , em particular aqueles que em San Pietro foram trabalhar. Ele os chamou de "meu povo". Embora nos últimos tempos já não podia subir a montanha, ele sempre olhou intensamente de sua janela. "

E em San Pietro al Monte Don Vincenzo Gatti especificamente pediu para ser enterrado. "Já se iniciou o procedimento para garantir que o seu desejo se torne realidade; San Pietro al Monte já detém os restos dos antigos Padres, os abades do mosteiro: Don Vincenzo definitivamente merece reconhecimento similar ", disse o prefeito de Civate, Baldasse Mauri.

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Udine: Exposição de ícones e Arte Sacra na galeria de arte Arttime


Galeria Arttime Udine apresenta de 23 de dezembro de 2015 a 06 de janeiro de 2016 mostra dedicada aos ícones e a Arte Sacra. 

A época de Natal é o mais adequado para parar e refletir e admirar a espiritualidade que brilha através preciosas e nunca previsíveis obras de Arte, elegantemente apresentada no espaço expositivo da galeria.
As obras expostas representam diferentes temas de espiritualidade cristã interpretadas por artistas através de linguagens pessoais que renovam o poder da arte litúrgica.
Tradicionalmente arte sacra é chamada a dizer a beleza da presença do Senhor vivo e tudo o que Ele criou. O termo "ícone", da "imagem" grego, é uma representação sagrada pintado sobre madeira, que transmite uma mensagem teológica particular através da linguagem icónica que é uma expressão das cores usadas pelo artista. 

Pierluigi da Udine apresenta uma série de ícones clássicos , um enorme crucifixo, algumas esculturas de terracota e uma escultura de bronze fino em mármore branco de Carrara, representando a justiça. 

Anna Rosa Bongiovanni, artista Veronese, durante muitos anos, especializada em iconografia clássica, propõe nesta revisão, a número significativo de ícones que representam os principais temas religiosos. 

Izzo Elena se aproximou de arte em primeiro lugar no restauro e conservação do património cultural e, em seguida, iconografia apaixonado muito a dedicar-se exclusivamente a ele. Sua contribuição para esta forma de arte é expressa em sua intenção de inovar aproximando passado e presente, através de uma revisão do ícone com o uso de quadros clássicos e modernos meios menos elaborados que destacar a imagem sagrada. 

A pedra angular da poética de Aurelio Bruni é a memória, o que significa que os endereços artista à "pintura do museu", a fim de recuperar a linguagem clássica e a tradição figurativa mais nobre. Ele escolhe o caminho do realismo. Sua narrativa, no entanto, não é realista, mas é expresso no mito da imaginação romântica da matriz. 

Antonella Rubini Formenti expressa sua arte em uma série de ícones valiosos e pesquisas originais de temas e cores específicas. A atenção aos detalhes e atenção no uso de pigmentos fazer as obras deste artista refinado e sensibilidade expressiva incomum. 

Angelina Silvestre, artista versátil, se engaja em muitos gêneros de pintura e com forte determinação e grande emoção espiritual tem criado obras religiosas modernidade apreciável de linguagem artística que ela usou.

A exposição estará aberta a partir de 23 de dezembro de 2015 al 06 janeiro de 2016, na Galeria de Alley Arttime Pulesi, 6 Udine com o seguinte calendário: Segunda 16:30-19:00, e de terça a sábado 10,00-12,00 e 16,30-19,00.

Fonte: Udine20

domingo, 27 de dezembro de 2015

Suoni di Pietra

Música e arte sacra da Idade Média e do Renascimento

Arte e fotografiaARTE E FOTOGRAFIA
 
Música e concertosMÚSICA E CONCERTOS
Soa pedra.  Música e arte sacra da Idade Média e do Renascimento
Uma exposição de um pintor excepcional sugestiva e intensa, Don Domenico Cantore, é o cenário para um quarteto de cordas, The Hill Quartet, para viver a seus telespectadores uma noite simples e refinado de arte sacra e música clássica.
O ícone não é pintado, o ícone é escrito, pois também é a palavra de Deus, escrita com a imagem, usando uma linguagem codificada por séculos. Há um "ler" o ícone, que nos afeta a todos: É um desejo de descobri-lo, compreendê-lo, aprofundá-lo. 
Mas o ícone é arte sacra, é um meio eficaz para conhecer a Deus, a Mãe de Deus e dos Santos.
Nestas pinturas, na verdade, eles não aparecem em qualquer das assinaturas dos artistas nem as datas de performance, porque a imagem não tem que agitar as emoções humanas, mas a introdução de um mundo sobrenatural que pode ser interpretado e implementado também por um público livre da cultura, desde que animada por espiritualidade e fé. 
Todos os ícones, embora diferentes, têm afinidade comum, como é intenção comum com a qual foram "escrito": Testemunhe o ' invisível - para sustentar nossa fé e esperança - nos ajudar a rezar - transformando-nos na caridade.

Mottola (Taranto)
Igreja de St. Joseph, Via Cadorna 1
20:00
Entrada gratuita 

Itália
Info. 0998867640 


Fonte: Il Tacco di Bacco

sábado, 26 de dezembro de 2015

Santa Sé esclarece: Pergaminhos com bênção papal são adquiridos somente na Esmolaria Apostólica




Bênção Apostólica

Os pergaminhos com as bênçãos papais são emitidos somente pela Esmolaria Apostólica Vaticana, recordou a Santa Sé a fim de evitar que os fiéis sejam enganados por pessoas inescrupulosas, logo depois que a Delegacia vaticana e a Polícia vaticana confiscaram cerca de 3.500 documentos falsos que seriam vendidos por um total de 70.000 euros.

“Os pergaminhos com as bênçãos apostólicas são emitidos somente pela Esmolaria Apostólica, o escritório da Santa Sé que tem a missão de realizar a caridade para os pobres em nome do Pontífice. Todos os recursos da Esmolaria Apostólica, sobretudo as ofertas pagas pela emissão dos certificados das bênçãos, são totalmente usados para as obras de caridade do Santo Padre”, assinalou ontem, 16, através da Rádio Vaticano.

Os papéis falsos foram vendidos aos peregrinos, aproveitando o Jubileu da Misericórdia inaugurado no dia 8 de dezembro deste ano.

Foram descobertos em um comércio próximo à Praça de São Pedro. O responsável pela fraude foi denunciado por produção e comércio de objetos falsificados.

Para obter a Bênção Apostólica em pergaminho oficial, é necessário dirigir-se pessoalmente “aos escritórios da Esmolaria Apostólica dentro da Cidade do Vaticano”.

“Também é possível fazer os pedidos pelo correio, escrevendo para: Elemosineria Apostólica, Ufficio Pergamene, Città del Vaticano – 00120, ou pelo fax +39 0669883132.

As pessoas que desejam o pergaminho, devem preencher um formulário que pode ser baixado na página da Esmolaria.

Em sua página, a Esmolaria assinalou: “A Bênção Apostólica se reparte nas seguintes ocasiões: Batismo, Primeira Comunhão, Crisma, Matrimônio, ordenação presbiteral, ordenação de diácono permanente, profissão religiosa, consagração secular, aniversários” e a pessoas católicas de maneira individual ou famílias católicas “com nome e sobrenome dos esposos unidos em matrimônio religioso”.

“O tempo necessário para receber o pergaminho é de trinta dias aproximadamente, a partir da data na qual foi solicitado”, assinalou.

Fonte: ACI digital

sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

A "Natividade" por pintores famosos

Conrad Soest ou Conrad von Soest (1370 — 1422) foi um mestre e pintor alemão do chamado estilo suave, dentro do gótico internacional. Sua obra teve grande influência na pintura alemã do século XV. Nesta obra o telhado do estábulo está esburacado, mas Maria tem o bebê quente em seus braços em lençóis requintados. José faz uma sopa para restaurar a parturiente.

Petrus Christus (Baarle, 1410 a 1420 — Bruges, 1473) foi um pintor flamengo que trabalhou em Bruges. A obra é cheia de detalhes – anjos com asas coloridas, arcos e pilares ornamentados, mas o que atrai os olhos é o menino Jesus no chão, apoiado no vestido da mãe.

Sandro Botticelli (Florença, 1º de março de 1445 – 17 de maio de 1510), foi um pintor italiano da Escola Florentina do Renascimento. Aqui, o nascimento de Cristo é celebrado com festa e dança.

Hieronymus Bosch, ('s-Hertogenbosch, 1450 — 9 de Agosto de 1516), foi um pintor e gravador Holandês dos séculos XV e XVI. Normalmente, seus quadros trazem uma atmosfera onírica e irreal. Nesta obra, esse sentimento nos homens que observam a cena no telhado do estábulo.

Gerard David (Oudewater, c. 1460 — Bruges, 13 de agosto de 1523) foi um pintor holandês do Gótico tardio, conhecido pelo uso brilhante da cor. Gerard David nasceu onde hoje é Utrecht. A maior parte de sua carreira, porém, aconteceu em Bruges. 

Geertgen tot Sint Jans (Leyden, 1460 — 1490) foi um pintor holandês do século XV bem pouco conhecido. Muitas de suas obras têm autenticidade contestada, mas esse quadro, aparentemente, é dele mesmo. Tem um menino Jesus resplandecente e um anjo que brilha ao fundo.

Lorenzo Costa (1460 - 5 de Março de 1535) foi um pintor italiano do Renascimento. Nasceu em Ferrara, mas se mudou para Bolonha quando tinha 20 anos. Neste quadro, chama atenção os detalhes da cidade ao fundo, a pose do bebê deitado sobre o braço.

Ambrogio Borgognone (Ambrogio da Fossano, Ambrogio Stefani da Fossano ou simplesmente Bergognone (1470 - 1523/1524) foi um pintor italiano da Renascença e um dos membros da Escola Milanesa. 

Federico Barocci (Urbino, 1528 - 30 de Setembro de 1612) foi um pintor, gravador e impressor italiano da Contra-Reforma ou do proto-Barroco. Repareno quadro: é Maria e não o menino Jesus que está no centro da tela.

Marten (Maarten) de Vos (Antuérpia?, 1532–1603) foi um importante pintor do Maneirismo. Estudou na Itália e foi influenciado pela cor dos venezianos.

El Greco, (Fodele, Heraclião, 1541 — Toledo, 7 de abril de 1614) foi um pintor, escultor e arquiteto grego que desenvolveu a maior parte da sua carreira na Espanha. Entre os detalhes que fazem dessa obra uma grande pintura estão a fragilidade aparente do menino Jesus, o olhar plácido da mãe e o chifre do boi em primeiro plano.

Michelangelo Merisi da Caravaggio (Caravaggio, 29 de setembro de 1571 – Porto Ercole, 18 de julho de 1610) foi um pintor italiano atuante em Roma,Nápoles, Malta e Sicília, entre 1593 e 1610. É normalmente identificado como um artista barroco, estilo do qual foi o primeiro grande representante. Como tantas obras de Caravaggio, esta também tem um clima único. Maria está desalinhada – diferentemente de todas as outras Marias parturientes. 

Gerard van Honthorst (4 de novembro de 1592 – 27 de abril de 1656) foi um pintor holandês. Conheceu Roma logo cedo e ali teve muito sucesso pintando em estilo influenciado por Caravaggio. Neste quadro, a iluminação vai para o Menino Jesus.

Georges de La Tour (13 de março de 1593 – 30 de Janeiro de 1652) foi um pintor barroco francês. Nesta obra, Jesus é um bebê todo amarradinho – como ficavam os bebês humanos normais (até bem pouco tempo). Um jeito raro de retratá-lo.

Arthur Hughes (27 de Janeiro de 1832 – 22 de dezembro de 1915) foi um pintor inglês. Maria, bem nova, aparece bastante submissa ao lado dos anjos que levam seu filho.

Fonte: Casa Abril

"Natividade" de Giotto de Bondone




Autoria de LuDiasBH
A  Natividade, obra do pintor e arquiteto florentino Gioto de Bondone, é de uma delicadeza comovente. À época em que viveu o artista, os frades, em seus sermões, persuadiam os cristãos a visualizarem a História Sagrada sempre que lessem a Bíblia. E assim também fez Giotto em sua arte, ao tentar retratar a reação dos personagens pintados, de acordo com a cena religiosa em que se encontravam inseridos, como se tratasse de um quadro vivo.
Esta pintura, localizada na Igreja de São Francisco de Assis, na Itália, tem como cenário uma estrebaria. Ali se encontram a Virgem Maria, seu filho Jesus, São José, dois pastores, duas mulheres banhando uma criança, vários anjos, cabras e ovelhas.
Assentada sobre sua cama, numa posição mais alta, debaixo da parte coberta da estrebaria, a Virgem segura seu Menino nos braços com extrema doçura. Ela o observa, embevecida. Veste um imenso manto azul que lhe cobre todo o corpo. À cabeça traz um grande halo dourado, o maior entre todos, símbolo de sua grandeza diante dos olhos de Deus. O Menino está envolto em faixas, de modo que somente a cabecinha aureolada aparece.
Ao lado esquerdo da Virgem Mãe estão um jumento e um boi, próximos a uma manjedoura. Embora não constem nos textos bíblicos, eles são sempre representados nas cenas sobre a Natividade de Jesus. Segundo alguns estudiosos de arte, a presença dos animaizinhos tem por finalidade mostrar aos homens que até mesmo os animais foram adorar o Salvador.
São José, assentado sobre uma pedra, à direita da Virgem, com um braço descansando no colo e o outro segurando o queixo, parece cansado, enquanto um anjo fala aos dois pastores sobre o nascimento de Jesus.
Na parte central da composição, doze anjos, seis de cada lado, louvam a Virgem e seu Filho. Enquanto na parte superior, quatorze anjos, cinco à esquerda e nove à direita, observam a estrela que joga sete raios de luz sobre a cabecinha do Menino Jesus, representando os dons do Espírito Santo (sabedoria, entendimento, conselho, fortaleza, ciência, piedade e temor de Deus). Todos eles estão em atitude de adoração, exceto um, que tem os braços cruzados.
Ficha técnica:Data: c. 1320
Gênero: pintura religiosa
Técnica: afresco
Localização: Igreja de São Francisco, Assis, Itália

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Desejamos...



Presépios setecentistas divulgados pela primeira vez em livro


foto
Trabalho de identificação dos presépios foi iniciado pelo cónego Belarmino Afonso, que faleceu há dez anos. Livro foi lançado no último domingo dia 20.

Os presépios setecentistas da diocese de Bragança-Miranda (Portugal), que se acredita terem influência do conhecido escultor Machado de Castro, estão a ser identificados e divulgados pelo padre Estevinho Pires.


Um trabalho iniciado há cerca de 15 anos pelo cónego Belarmino Afonso, autor de um vasto trabalho de investigação e recolhas de cariz etnográfico, que foi agora retomado pelo padre, natural de Bragança. Além de divulgar estas obras de arte, contribuindo para a sua preservação, a obra é também uma homenagem ao cónego, na altura do décimo aniversário da sua morte. O autor do livro “Presépio, luz da paz de Belém” trabalhou em vários projectos com Belarmino Afonso, destacando-se o trabalho no Departamento dos Bens Culturais da Igreja e no Corpo Nacional de Escutas. 

Numa primeira fase do trabalho, foram identificados 15 presépios. No concelho de Bragança faz-se alusão ao presépio de Donai, Terroso, Vilarinho, Maçãs, Fontes Tansbaceiro, Soutelo da Gamoeda e Baçal. Já no concelho de Macedo de Cavaleiros, constam do livro os presépios de Lamalonga, Vilarinho de Agrochão e Vale Benfeito. Há ainda a identificação de presépios deste género, no concelho de Alfândega da Fé, nomeadamente em Sambade, Vilares da Vilariça e Castelo e, em Vinhais, foi identificado o presépio da Ordem de S. Francisco. 


O padre Estevinho Pires sublinha que este é um trabalho ao qual pretende dar continuidade. “Ainda há muito trabalho a fazer nesta área. Os presépios representados neste livro foram aqueles a que tive acesso mas há muitos mais em toda a diocese. O trabalho de inventariação está a ser feito também pela Comissão de Arte Sacra e, certamente, irão ser assinalados mais”, constata o autor. 


O livro vai ser apresentado no próximo dia 20, às 19 horas, na Catedral de Bragança, no final da eucaristia, que começa uma hora antes, e onde os escuteiros do Agrupamento XVIII vão associar-se à “Luz da Paz de Belém”. O agrupamento de escuteiros de Bragança, no qual o padre Estevinho Pires desempenhou diversas funções nos últimos 21 anos, convida os participantes a fazerem-se acompanhar de uma vela, que irão acender e levar para casa, mantendo-a acesa até à Noite de Natal, num acto simbólico de comemoração do nascimento de Jesus Cristo. 


Depois do lançamento do livro, o padre Estevinho Pires espera organizar mais iniciativas de homenagem ao cónego Belarmino Afonso.
Por: Sara Geraldes

quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Puer Natus in Bethlehem

Este hino de Natal foi especialmente popular durante o período antigo. Seu autor é desconhecido. O mais antigo texto beneditino Latino encontrado até agora está contido em um livro que data do início do século XIV. O texto latino, que é encontrado em muitas redações diferentes que variam de seis a doze estrofes, tem, muito provavelmente, sido composta por vários autores. Consequentemente, tem sofrido muitas mudanças devido a omissões, revisões e acréscimos. "Uma criança nasce" foi traduzido para o alemão em 1439 por Heinrich von Laufenberg. Mais tarde, uma série de versões em alemão apareceu. Nos velhos hinários em alemão, dinamarquês, sueco uma tradução latina no vernáculo foi inserida imediatamente após cada estrofe.


Exposição "Caminhos de Luz"

A prefeita de Arcoverde, Madalena Britto, preparou uma festa especial para o natal 2015. Nesta quarta-feira, dia 23, com o apoio do Colégio Cardeal Arcoverde e do Padre Adilson Simões, ela inaugura a partir das 19h, a Exposição Caminhos de Luz com 47 presépios de várias partes do Brasil e do mundo. O evento faz parte da programação do Natal de Coração.

“Tem presépios dos Estados Unidos, da Guatemala, do Peru, do Equador, entre outros, que vão ficar em exposição na Praça Winston Siqueira, até o dia 29 de dezembro”, explicou a prefeita Madalena. As peças foram confeccionadas por artistas da região ou compradas na Casa Santini, na Itália. O acervo vai fazer parte do patrimônio de Arte Sacra do Santuário da Divina Misericórdia, em Serra das Varas, Zona Rural de Arcoverde.

Padre Adilson explica de onde veio a inspiração desta Exposição: “em oração, no Advento de 2014, senti o desejo de fazer uma exposição multicultural de presépios para levar ao público a universalidade do mistério da encarnação. Os presépios, na sua originalidade, revelam de modos diferentes o esplendor do natal de forma inculturada. Penso que se cada peça falasse diria o que se passava no coração de quem a fez”.

SHOW – No mesmo dia, no palco armado no Largo do Cecora, próximo ao Colégio Carlos Rios, haverá a apresentação do Grande Concerto de Natal Caminhos de Luz, com a Orquestra de Metais do Colégio Cardeal, Quinteto de Cordas do Recife, Coral Vozes do Sertão e o acordeonista Johnanthan Malaquias. Um show que vai ficar indelevelmente marcado nos corações e mentes do povo de Arcoverde.

Fotos: Divulgação

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Presépio e árvore de Natal do Vaticano serão doados a Belém



O Presépio e a árvore de Natal presentes na Praça São Pedro, na cidade do Vaticano, será doado à Igreja da Natividade de Belém. O presépio é uma oferta da arquidiocese e da Província Autônoma de Trento, na Itália, em parceria com a Associação Amigos do Presépio de Tesero.

O Cardeal Giuseppe Bertello, que preside o governo do Estado do Vaticano, anunciou que “o Papa dispôs que, depois do Natal, a obra seja doada à Igreja da Natividade de Belém”.

A representação do nascimento de Jesus reproduz as típicas construções rurais da região italiana e é composta por 24 figuras de tamanho natural, em madeira esculpida e pintada.

A Natividade inclui as figuras de Maria, José e o Menino Jesus no centro do cenário, além dos três magos que chegam para a adoração.

O Cardeal mencionou ainda a cena da Misericórdia retratada no presépio, em “que um homem ajuda um idoso”, e lembrou que o Papa Francisco vê neste gesto o espírito de Natal.

A árvore de Natal foi este ano oferecida pela região alemã da Baviera. É um abeto vermelho de 32 metros, reduzido para 25 a fim de poder ser transportado até ao Vaticano. Antes de ser acesa a árvore, o Cardeal Giuseppe Bertello, recordou que a iniciativa da árvore e do presépio na Praça São Pedro nasceu há 33 anos de uma ideia de São João Paulo II.

O presépio e a árvore de Natal que decoram anualmente a Praça São Pedro chegaram este ano mais cedo em 2015, por causa do Jubileu da Misericórdia e contam com decorações feitas por crianças em tratamento oncológico.

Na árvore de Natal estão trabalhos em barro criados por crianças tratadas em unidades oncológicas de vários hospitais italianos.

Por Canção Nova, com Agência Ecclesia

Presépio dos Irmãos Valença se apresenta nesta terça (22) no Dona Lindu


img_alt
Grupo foi o homenageado pela Prefeitura do Recife em 2013. (Foto: Andréa Rêgo Barros/ArquivoPCR)

Os moradores da zona sul poderão assistir a um dos presépios mais tradicionais de Pernambuco, nesta terça-feira (22). O Presépio dos Irmãos Valença vem de uma tradição de 150 anos e se apresenta no Teatro Luiz Mendonça, Parque Dona Lindu, às 20h, com entrada franca. O teatro é um equipamento cultural da Prefeitura do Recife. 
O espetáculo é uma opereta que conta, através da anunciação do anjo Gabriel, o nascimento do menino Jesus em Belém de Judá.As pastoras e os pastores seguem, em jornadas, a caminho do local, avisado pelo anjo Gabriel, para louvar o menino Deus. Neste percurso, Lusbel (anjo mal) usa de artimanhas para seduzir as pastoras e impedi-las de chegar à manjedoura, travando sempre uma batalha, com o anjo Gabriel, entre o bem e o mal. Com a vitória do bem, o grupo chega a Jerusalém e faz uma louvação ao nascimento do Salvador da humanidade, o menino Deus. 
Ele é encenado durante todo o mês de dezembro e encerrado no dia 06 de janeiro, quando se realiza a tradicional Queima da Lapinha. O elenco tem 18 atores, com idades entre 7 e 60 anos, todos da família Valença, somando três gerações a se apresentar no palco. O Presépio dos Irmãos Valença também será exibido na quarta-feira, 23 de dezembro, às 17h, no pátio externo na Casa da Cultura, no centro do Recife.

Serviço:
Apresentação do Presépio dos Irmãos Valença
Quando: terça-feira, 22 de dezembro
Local: Teatro Luiz Mendonça, Parque Dona Lindu, Boa Viagem, Recife
Entrada franca
Informações: 3355.9821

Aposentada monta presépio há 57 anos para pagar promessa

Tradição foi motivada por uma promessa feita após a filha adoecer.

 
Para dona Noca o maior prazer em montar o presépio está em ver as pessoas visitarem e rezarem no local. (Foto: Rogério Aderbal/G1)
A aposentada Gerolina Senhora dos Anjos, de 78 anos, popularmente conhecida como dona Noca, contou com ajuda da família para conseguiu terminar a montagem de um presépio de Natal na casa onde mora em Cacoal (RO).
Apesar das dificuldades de locomoção, devido a uma artrose no joelho e problemas causados pela diabete, ela mantém a tradição de 57 anos que começou após uma promessa feita após a filha mais velha adoecer.
De acordo com a aposentada tudo começou quando ela levou a filha mais velha, com apenas 4 anos de idade, na época, para visitar um presépio que uma vizinha havia montado. Na hora de ir embora a menina não quis se afastar do cenário, e acabou passando mal durante a noite. "Ficou muito mal, com febre e soluçando. Coloquei ela deitada na cama e fiquei com medo de perder mais uma filha, pois já havia perdido dois, dos 16 que tive”, disse.
Enquanto sofria com a febre, a filha de dona Noca pediu à mãe que construísse um presépio como o que havia visto na casa da vizinha. Ela contou que ao ouvir o pedido se ajoelhou ao  pé da cama e prometeu a Deus que, caso a filha curasse, daquele ano em diante montaria um presépio.
No início, a tradição de montagem do presépio começou de forma improvisada. "Peguei umas bonecas velhas, coloquei umas roupinhas e montei. Quando mostrei para minha filha, ela disse que não estava igual ao da vizinha. Então, falei que no próximo ano eu iria montar um melhor, e a cada ano fui melhorando com a ajuda da família e amigos", contou.
Conforme dona Noca, mesmo tendo morado em diversos lugares diferentes o presépio nunca deixou de ser montado. Ela disse que quando chegou em Cacoal, a família foi morar em um sítio e não havia energia por lá. Mesmo assim, ela montou o presépio usando luz de vela e lampião. Para facilitar a localização da casa por parte das pessoas que queriam visitar o local, a aposentada contou que chegou a fazer velas de cera de abelha e colocar no caminho até a residência dela.
Apesar de estar com a saúde bastante debilitada, dona Noca revelou que só deixará de montar o presépio quando morrer. "Mesmo sem aguentar já fui à igreja para convidar o povo para vir rezar com a gente no dia 23. Ficou até emocionada quando vejo todos em volta do meu presépio. Isso me deixa muito feliz", declarou.
Nelson Francisco dos Santos, de 59 anos, é um dos filhos de dona Noca, e mora na cidade de Buritis (RO). Ele aproveitou o período de fim de ano para visitar e ajudar a mãe na montagem do cenário do presépio. "Como ela já está bastante debilitada, sempre que posso ajudo na montagem. É uma coisa que ela ama fazer e se sente muito feliz quando o povo chega para visitar os enfeites", enfatizou.
O presépio fica aberto à visitação até o dia 20 de janeiro, na casa de dona Noca, na Avenida Paraná, Bairro Novo Horizonte, em Cacoal.
Fonte Original: G1

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Cursos de Extensão na PUC - SP

Clique nos links para saber mais:

Ciência Aplicada à Conservação e ao Restauração de Bens Culturais – Química, Física e Biologia
Apresentação 
O curso vem preencher uma lacuna na formação de profissionais de conservação e restauração de bens culturais no Brasil devido à carência e diversidade de cursos formativos e informativos. Principalmente, cursos que unam a teoria da ciência à prática da conservação e restauração.
Com o objetivo de orientar conservadores e restauradores de bens culturais a ter uma atitude cientifica no desenvolvimento de seu trabalho, seja ele, prático ou teórico; o curso trabalha o conhecimento científico mínimo necessário para a correta atuação na área de conservação e restauração de bens culturais, conhecimentos de física, química, etc..

Público alvo

Profissionais da área de conservação e restauro e alunos dos cursos de graduação em restauro.
***
Apresentação 
Um dos problemas enfrentados pelos profissionais da área de Conservação e Restauro é a carência de cursos que o auxiliem no conhecimento de novas técnicas de conservação e restauração.
No intuito de preencher essa demanda, o Curso de Extensão Ateliê de Restauro de Pintura de Cavalete Básico – Estudos de Casos promove a interação e o debate entre profissionais da área, por meio de estudos de casos. Professores altamente capacitados abordam práticas de restauro, articulando experiência e pesquisa.

Objetivo

Capacitar o profissional da área de Conservação e Restauro, por meio de estudos de casos.

Público-Alvo

Profissionais e estudantes da área de Conservação e Restauro.
Fonte: PUC - SP

Sebastiano Mainardi (Bastiano)

Sebastiano Mainardi, às vezes também referido como Bastiano, (San Gimignano, 1460 - Florence, 1513), foi um pintor italiano, membro do Renascimento. Ele trabalhou no atelier de seu irmão Domenico Ghirlandaio, cujo estilo atraiu muito.

Ele trabalhou principalmente em Florença e San Gimignano, e seu estilo, bem como por Ghirlandaio, também é influenciado pela pintura de Verrocchio.

Seus primeiros trabalhos foram as grandes comissões do atelier de Ghirlandaio: definitivamente participou na decoração da Capela Sassetti e da Capela Tornabuoni mesmo que sua mão é dificilmente reconhecível entre os assistentes. Em 1485 ele trabalhou no Cenáculo do Museu Nacional de San Marco, onde Domenico apenas desenhou o set e supervisionou a realização, deixando, em grande parte da pintura a cargo de Sebastian e seu irmão David. Nestes trabalhos aparecem diferentes retratos de Sebastian, muitas vezes ao lado de Dominic, reconhecíveis pelos cabelos compridos (de acordo com Vasari).

Em 1480, pintou um afresco "Anunciação" em San Gimignano, cujo estilo é discutido por se assemelhar aos de Domenico e David Ghirlandaio, mas por sua vez, desenvolvidos a partir da pintura de Leonardo da Vinci na Galeria Uffizi. Também em San Gimignano ele fez em afrescos uma série de lunetas no Hospital de Santa Fina representando: São Bartolo, Gimignano, Pedro Mártir e Nicolau. No final do século XV, fez a "Madonna com a Criança", afresco na Capela do Bargello, em Florença.

Entre as pinturas sobre madeira, realizou uma série de "Madonas com o menino"  (Fundação Giorgio Cini em Veneza, Igreja de S. Lourenço e Martino di Campi Bisenzio, Galeria Municipal de Arte de San Gimignano, etc.).

Outro tema de suas pinturas são retratos, especialmente mulheres, em que alcançou uma notável experiência técnica, de modo a tornar a atribuição, por vezes, incerta para ele ou para seu irmão Domenico.

Algumas Obras:

Cappella Tornabuoni, Cacciata di Gioacchino (dettaglio), da sinistra David Ghirlandaio, Tommaso Bigordi, Domenico Ghirlandaio e Sebastiano Mainardi.

Sebastiano Mainardi - Annunciation (detail) Collegiata di Santa Maria Assunta (San Gimignano)

Sebastiano Mainardi - Annunciation (detail) Collegiata di Santa Maria Assunta (San Gimignano)

Sebastiano Mainardi (1460 – 1513) Madonna col bambino e tre angeli, 1495-1500 ca. Museo di Capodimonte Napoli.

Sebastiano Mainardi (1460 – 1513) Madonna col bambino e santi, 1507-08 Museo d'Arte Sacra di Incisa (Firenze)

Sebastiano Mainardi (1460 – 1513) Madonna col Bambino e angeli, Fondazione Giorgio Cini, Venezia.

Sebastiano Mainardi (1460 – 1513) Madonna della cintola (Cappella Baroncelli) Basilica di Santa Croce Firenze.

Sebastiano Mainardi (1460 – 1513) Natività Pushkin Museum.

Sebastiano Mainardi (1460 – 1513) Tabarnacolo in Via San Giovanni - San Gimignano.

Museo del Bargello ( Florence ). Saint Mary Magdalene chapel: Fresco of Madonna and Child ( 1490 ) by Bastiano Mainardi.

Sebastiano Mainardi (1460 – 1513) Madonna Col Bambino e San Giovannino - 1400s Palazzo Vecchio Firenze

Sebastiano Mainardi (1460 – 1513) San Girolamo penitente. National Museum in Warsaw

Fonte: Musei Italiani

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Livro: "Retábulos da Ordem dos Carmelitas Descalços"



























































Horário:18h00
Inicio do Evento:17 dezembro
Fim do Evento:17 dezembro
Localização:Igreja do Convento dos Remédios


Autoria de Francisco Lameira, José João Loureiro e Frei José Carlos Vechina, a apresentação da obra estará a cargo da Doutora Sandra Costa Saldanha, Diretora do Secretariado Nacional para os Bens Culturais da Igreja.

Integrará a sessão um momento musical da responsabilidade do Conservatório Re​gional de Música - Eborae Musica.

26ª Exposição Franciscana de Presépios



 

Sempre com muitas novidades a exposição franciscana de presépios do Convento São Francisco (São Paulo) chega a sua 26ª edição, com setenta presépios inéditos, divididos em vitrines ambientadas com cenografias únicas e originais, material reciclado e criatividade que dão aos presépios o destaque merecido. Desde 2010, Frei Róger Brunorio, que também é museólogo faz a curadoria e este ano se despede de São Paulo, com o compromisso de levar os visitantes a refletirem sobre o Mistério do Natal à luz do tema: "Sede misericordiosos, como o vosso Pai é misericordioso".

A escolha do tema foi por causa do Ano Jubilar Extraordinário instituído pelo Papa Francisco. Na cena do presépio podemos contemplar o grande ato de amor de Deus pela humanidade. "Jesus Cristo é o rosto da misericórdia do Pai". Ali, na fragilidade da criança está o grande mistério do perdão e da reconciliação. "Na "plenitude do tempo ((Gl 4,4), quando tudo estava pronto segundo o seu plano de salvação, mandou o seu Filho, nascido da Virgem Maria, para nos revelar, de modo definitivo, o seu amor. Que o vê, vê o Pai (cf. Jô 14,9). Com a sua palavra, os seus gestos e toda a sua pessoa, Jesus de Nazaré revela a misericórdia de Deus."

A mostra de presépios é também uma oportunidade de poder conhecer outras culturas e dialogar com outros povos. Para a exposição desse ano são exibidos presépios de 14 estados brasileiros e de quinze países. Os conjuntos são originais e algumas peças são únicas. Os presépios são feitos de material diverso e artesanal. A riqueza nos detalhes das obras leva o visitante a perceber a diversidade das culturas brasileira e estrangeira. O presépio de Caruaru - PE, tem cores fortes e traços regionais na figuras. Do Vale do Paraíba, a Sagrada Família é composta por um pescador, uma lavadeira e um menino índio. De Tiradentes - MG, o presépio foi feito de madeira de demolição e pintado à mão. De Vitória - ES, há dois conjuntos, um feito de escama e concha, e o outro, de tronco de árvore queimada. Da Rússia, o presépio é tipo matrioska. Da Alemanha, dois exemplares típicos em madeira dão forma e cor. E do Japão, os três personagens são com os traços e vestes orientais. E assim, de cada lugar ou região os presépios são carregados e imbuídos de elementos típicos e culturais.

A quantidade e a qualidade dos presépios, bem como a diversidade de material usados nos cenários com abordagens cheios de forma, conteúdo e espiritualidade faz a mostra ser atraente e interessante. Além do passeio cultural pelos presépios, os visitantes ainda poderão desfrutar a arquitetura franciscana presente na igreja do século XVII e no convento construído na década de 1940.

26ª Exposição Franciscana de presépios
Convento São Francisco
Largo São Francisco, 133 (ao lado da Faculdade de Direito)
Sé - São Paulo - SP


Informações e agendamentos:
tel.: 11 3291 2400
E-mail: presepios@franciscanos.org.br

Visitação
De 08 a 30 de dezembro de 2015
Seg à Sex.: 9h às 17h
Sáb.: 9h às 15h
Dom.: 9h às 12h
*Nos dias 24 e 25 não haverá visitação.


Fonte: Frei Roger
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...