quarta-feira, 31 de julho de 2013

Especialização em Conservação e Restauro de Bens Patrimoniais - Senai -Tijuca-RJ


Descrição
Este curso visa desenvolver competências para realizar atividades de planejamento e acompanhamento à execução de intervenções de conservação e restauração em edificações de interesse cultural, de acordo com métodos e procedimentos específicos, legislação e normas técnicas, de segurança e de preservação ambiental, considerando os limites de suas atribuições.

Pré-requisitos
Curso destinado a alunos e profissionais da área de arquitetura, engenharia, urbanismo, preservação do patrimônio e técnicos em edificações.

Conteúdo
História da Arte e da Arquitetura

o Introdução à História da Arte
o História da Arquitetura no Brasil

Tecnologia de Conservação e Restauração de Construções Tradicionais

o Técnicas Construtivas Tradicionais
o Patologia dos Bens Patrimoniais Edificados
o Legislação e Normas para Conservação e Restauração

Planejamento e Execução de Obras de Conservação e Restauro

o Levantamento dos Bens Patrimoniais Edificados
o Planejamento e Controle de Obras de Conservação e Restauro
o Orçamento de Serviços de Conservação e Restauro
o Técnicas de Conservação e Restauração
o Técnicas de Acondicionamento de Elementos Arquitetônicos
o Execução de Obras de Restauro

Carga horária
350 horas


Como se matricular
Veja abaixo como se matricular neste curso
Você pode efetuar a sua pré-matrícula aqui mesmo no site e depois apresentar a documentação necessária em até 48horas na unidade do SENAI (Tijuca-RIO) para efetuar a matrícula. Veja o calendário com a programação completa deste curso e, se interessar, reserva a sua vaga. Documentação necessária: identidade, CPF, certidão de nascimento, foto, comprovante de escolaridade e residência, além de outros documentos que podem ser exigidos, segundo critérios específicos dos cursos.

Para consultar os valores dos cursos favor entrar em contato com os canais de relacionamento com o cliente: 0800 0231 231 | 4002 0231 *Custo de ligação local | faleconosco@firjan.org.br | atendimento online

terça-feira, 30 de julho de 2013

Curso de Arte Sacra – Iconografia e Devoção Mariana no Brasil




O curso de extensão Iconografia e Devoção Mariana no Brasil: História, Símbolo e Arte pretende abordar o tema da multiplicidade dos títulos da Virgem Maria, com particular enfoque naqueles de presença histórica no Brasil: sua fundamentação antropológica, seu papel na doutrina católica, na liturgia e na religiosidade popular, juntamente com o desenvolvimento de suas representações nas distintas manifestações das artes visuais. O curso se direciona à comunidade em geral e estudiosos das áreas de Antropologia, História, Artes Visuais, Museologia, Conservação e Restauro e afins.
 Será oferecido de 23 a 27 de setembro de 2013, das 17h às 20h, num total de 15h – Será fornecido certificado

 MINISTRANTE: JONAS KLUG DA SILVEIRA é licenciado em Filosofia e Bacharel em Música, com mestrado em Educação, na linha de pesquisa em Imaginário, Cultura e Memória, pela Universidade Federal de Pelotas-RS. É professor assistente, vinculado ao Colegiado de Música – Licenciatura do Centro de Artes da mesma universidade.
Local: Faculdade São Bento da Bahia
Organização e Contato: Ir. Anselmo Rodrigues, OSB
INVESTIMENTO: R$ 200,00 

A inscrição poderá ser realizada na secretaria da Faculdade ou através do envio da ficha de inscrição com o comprovante de depósito para o e-mail: cursos@saobento.org.

 Acesse aqui a ficha
Inscrição na Faculdade:
Secretaria da Faculdade 2° andar, de segunda a sexta, das 14:00 às 17:00 horas.
Av. Sete de Setembro, 30/32 – Avenida Sete de Setembro- Salvador – Bahia.

 Depósito Bancário:
Conta Corrente em nome da Faculdade São Bento:
Banco: Caixa Econômica Federal
Agência: 1416 Operação: 003 C/C: 866-3

Obs: Enviar pelo e-mail cursos@saobento.org a ficha de inscrição, juntamente com o comprovante de depósito.

Maiores informações: (71) 3322-4746 / 3017-1364 / 3017-1367
das 14 às 17 h, de segunda a sexta.
E-mail: cursos@saobento.org

Fonte: Faculdade São Bento

segunda-feira, 29 de julho de 2013

Ex-metalúrgicos tentam evitar ampliação de capela em Timóteo (MG), no Vale do Aço

Eles temem a descaracterização do templo que lhes serviu de refúgio na ditadura.
São José Operário dá o nome à pequena igreja, que já não comporta os fiéis nas missas de domingo. Proposta do padre é rejeita por trabalhadores

Apesar da simplicidade, a pequena Capela de São José Operário, erguida na década de 1950 na Praça de Primeiro de Maio, em Timóteo, no Vale do Aço, ganhou significado maior ao servir de ponto de apoio às greves de metalúrgicos durante a ditadura militar e acolher trabalhadores perseguidos pelos patrões. Esses mesmos operários lutam agora contra a ameaça de descaracterização da igreja, que seria ampliada em até três vezes com o objetivo de comportar os fiéis nas missas de domingo. Para defender a capela, os trabalhadores chegaram a pedir socorro à Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Cultural de Timóteo.

Apesar de a igrejinha ainda não ter sido tombada pelo patrimônio histórico, a última palavra caberá ao promotor de justiça Kepler Cota Cavalcante Silva, que evitou dar entrevistas ontem. Por meio da assessoria de imprensa, informou apenas que encaminhou ao Ministério Público estadual pedido de vistoria técnica de historiador e arquiteto, devidamente qualificados, para bater o martelo em relação ao valor histórico e cultural da Capela São de José Operário. O pedido ainda não foi avaliado pelo promotor responsável pela área em Belo Horizonte, Marcos Paulo de Souza Miranda, que em férias e retorna só na segunda-feira.
Até a direção do Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Timóteo e Coronel Fabriciano foi acionada para interferir nas questões da fé na cidade, que dividem os próprios católicos. “O padre quer demolir nossa igrejinha, que já é tombada no coração das pessoas da cidade. Nela, nos casamos e batizamos nossos filhos”, conta Jésus Ferraz Barbosa, metalúrgico e sindicalista aposentado, que mobilizou mais de 2 mil pessoas pela internet contra a reforma. Segundo ele, o departamento jurídico do sindicato acionou o MP e a prefeitura, com o objetivo de cassar o alvará que permite reformas no templo.

“Só reclama quem não frequenta mais a capela. Acho que 99% dos fiéis estão a favor da ampliação da matriz”, garante o trabalhador aposentado da antiga Acesita Eugênio Nunes de Souza, de 61 anos, coordenador da Matriz de São José de Acesita. Ele explica que a atual capacidade da igreja é de 100 pessoas sentadas e 300 em pé. Para receber mais de 1,5 mil católicos na missa mais concorrida, às 19h30 de domingo, é necessário transferir o altar para fora da capela, além das mais de 1 mil cadeiras improvisadas. “Cinco voluntários chegam três horas antes da missa e preparam tudo. Não é fácil, mas o pessoal trabalha com afinco”, afirma.

“Não vamos interferir na fachada da igreja e não há nada definitivo ainda. O projeto está sendo elaborado com seriedade e será submetido a consulta pública”, diz o padre Pascifal José, de 43, natural de Petrolina (PE), nomeado pároco em maio de 2010. Ele substitui Abdala Jorge, o falecido padre que, durante 50 anos, liderou o histórico de lutas trabalhistas em torno da Praça Primeiro de Maio. “A igreja já tem um puxadinho, que acabou se tornando uma gambiarra e não resolveu o problema, porque os fiéis ficam praticamente de costas para o altar. Minha preocupação é com os idosos e cadeirantes, que,  chova ou faça sol, participam da missa do lado de fora por falta de espaço”, sustenta.

Litúrgico
Padre Pascifal diz estar aberto a outras sugestões, como a realização de plebiscito para decidir se a igreja deve ser reformada ou a cessão de terreno por particulares ou poder público capaz de comportar um templo três a cinco vezes maior que o atual. “No projeto arquitetônico, que será entregue em 90 dias, está mantida a fachada da igreja. O altar iria para o fundo da capela, e, no meio, seria acrescentado de cinco a seis metros de construção, o que aumentaria a capacidade para 1,1 mil pessoas sentadas. Estão previstos espaços litúrgicos para a celebração de batismo e casamento, nova engenharia, som e acústica, além de espaço para coral e confessionários”, detalha.

Antes de pensar na ampliação, a comunidade da Capela de São José discutiu a alternativa da igreja do Timirim, conhecida como Matriz de São José, que comporta exatamente a mesma quantidade de pessoas e costuma ficar vazia. A ideia, entretanto, foi recusada. Além do apego dos moradores à histórica capelinha, a igreja central conta com localização estratégica e proximidade de pontos de ônibus para quem vem de outros bairros e das cidades próximas, como Ipatinga e Coronel Fabriciano.

Por Sandra Kiefer
Fonte: em.com.br

domingo, 28 de julho de 2013

Livro "A Cátedra de Pedro: As Medalhas Contam a História"




Livro "A Cátedra de Pedro: As Medalhas Contam a História" traz perfis e reproduções de medalhas comemorativas de 60 papas, dos séculos III ao XXI.

Páginas: 48
Preço: R$ 9,90
Disponível na loja do Museu de Arte Sacra de SP.

sexta-feira, 26 de julho de 2013

Restauro na Imagem de Dna. Margarida Reis











 


'Coração ficou pequenininho', diz artesão que fez imagem ao Papa


Réplica de Nossa Senhora Aparecida foi esculpida em Campanha, MG.
Escultor viveu dia de fama e foi cumprimentado por moradores da cidade.

Após ter presenteado o Papa Francisco com uma réplica da imagem de Nossa Senhora Aparecida, o artesão Paulo Henrique Ferreira Pinto viveu um dia de celebridade em Campanha (MG). Nas ruas da cidade, Sodêm, como é conhecido, foi cumprimentado por moradores por onde passava, nesta quinta-feira (25).

"Quero continuar minha vida simples, não quero nada de fama", avisa o artesão.
O Papa Francisco recebeu o presente durante a visita a Aparecida (SP), nesta quarta-feira (24), das mãos do arcebispo Dom Raymundo Damasceno. Após pegar a réplica, o pontífice beijou a imagem como gesto de carinho. Ao final de uma missa celebrada na Basílica Nacional de Aparecida, o Papa ergueu a imagem diante de todos os fiéis presentes. A cena emocionou o artesão.
“Chorei bastante, mas de alegria. Meu coração ficou pequenininho. Fiquei muito emocionado com a cena", conta.
Papa Francisco beijou a imagem de Nossa Senhora Aparecida (Foto: Reprodução EPTV) 
Papa Francisco beijou a imagem de Nossa Senhora Aparecida (Foto: Reprodução EPTV)
No Museu Regional do Sul de Minas, em Campanha, foi montado um local para receber a réplica da imagem dada ao Papa Francisco, a pedido da prefeitura. Uma foto do pontífice foi colocada na parede.
“Nós recebemos muitos turistas na cidade então será um prestígio para eles ver a réplica que o Papa recebeu aqui no museu”, diz o chefe do Departamento de Cultura de Campanha, Nilber Martins Rosa.

Sodêm, é escultor há mais de 40 anos. Suas mãos dão dimensão e volume a pedaços de madeira e seu talento cria símbolos da fé dos católicos. A arte de esculpir imagens ele aprendeu com um alemão. "Ele foi ensinando pra gente e foi ele que trouxe esses trabalhos de madeira para Campanha, e ele era muito bom", lembra o escultor.

Assim surgem anjos barrocos, São Judas Tadeu e Jesus Cristo. Mas o forte do artista são as imagens de Nossa Senhora Aparecida, a santa de devoção. Muitas das imagens feitas por Paulo Henrique vão direto para Aparecida. O presente do Papa Francisco foi encomendado pelo bispo auxiliar do Santuário de Aparecida, Dom Darci, há dois meses. "Ele falou que era um pedido especial, que não era pra ficar nervoso (risos)", lembra o artesão.
Imagem de Nossa Senhora Aparecida será entregue ao Papa em julho (Foto: Reprodução EPTV)Imagem de Nossa Senhora Aparecida foi entregue
ao Papa (Foto: Reprodução EPTV)
A imagem entregue ao Papa é de cedro, mede 40 centímetros e demorou dois dias para ser feita. Após a encomenda especial, os pedidos para o escultor multiplicaram. "Todo mundo quer a imagem do Papa", conta.

O artesão guarda com carinho os convites que recebeu para participar da cerimônia em Aparecida. Segundo ele, o momento jamais será esquecido.

“Foi um momento muito especial, não dá para esquecer. Espero rever o Papa em 2017, se ele vier novamente”.

O Papa Francisco fica no país até 28 de julho, último dia da Jornada Mundial da Juventude, no Rio de Janeiro (RJ).
Escultor há 40 anos, Paulo Henrique tem devoção ao trabalho que faz (Foto: Reprodução EPTV)Escultor há 40 anos, Paulo Henrique tem devoção ao trabalho que faz (Foto: Reprodução EPTV)

Salvador (BA) – Devotos abraçam igreja na tentativa de encontrarem apoio para restauração


Os devotos da Igreja Senhora de Sant’ana, localizada no bairro de Nazaré promoveram um abraço em torno da igreja. Eles querem mostrar a necessidade de apoio para a conclusão das obras de restauração e recuperação da matriz, situação que se arrasta há mais de seis anos. A ação aconteceu hoje (26 de julho), às 11h15, e será precedida pela realização de um terço especial que acontecerá na entrada da igreja. A ação marca ainda as comemorações pelo dia da Padroeira Sant’ana, avó de Jesus.

Fechada desde 2006 em função da iminência de desabamento do telhado, a Igreja  conseguiu, na época, recursos para consertar o teto. Reabriu poucos meses e tornou a fechar após convênio com o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento) para recuperar o restante do acervo sacro, um dos mais importantes da Bahia. “Conseguimos finalizar a primeira etapa, e agora estamos muito temerosos de perder o que já foi feito, pois não conseguimos mais recursos para a segunda etapa, orçada em R$ 4 milhões” disse o pároco de Sant’ana, padre Abel Pinheiro.

Programação
As comemorações para Sant’ana contam com uma programação que inclui missas, alvorada festiva, recitações de terços e atos litúrgicos. A festa acontece de 23 a 26 de julho, na Igreja Santa Clara do Desterro, localizada em Nazaré, que recebe os paroquianos de Sant´ana até a conclusão final das obras da igreja. “Queremos arrecadar doações de leite em pó e kits de higiene pessoal para serem distribuídos à Associação Repartir e à Associação Solidária Grupo de Apoio a Pacientes Portadores de Câncer (Asgap)”, disse Padre Abel Pinheiro.

Somente a Casa de Apoio Padre Luna, da paróquia, atende a mais de 700 pessoas mensalmente, com atendimento médico e odontológico, manutenção da Escola Paroquial que reúne 150 alunos e distribuição de cestas básicas para idosos carentes.
Fonte: Tribuna da Bahia

quinta-feira, 25 de julho de 2013

O que esperar da Via Sacra em Copacabana.

Via Sacra “politizada” da JMJ teve um veto do Vaticano, diz diretor da encenação

Uol - O diretor artístico Ulysses Cruz, responsável por um dos eventos mais esperados da Jornada Mundial da Juventude –a encenação da Via Sacra ao longo da avenida Atlântica, em Copacabana (zona sul do Rio) na próxima sexta-feira (26), com a presença do papa Francisco–, promete um evento “politizado”, com muitas referências aos problemas atuais dos jovens.
“É tudo alusivo. Mas, evidentemente, as críticas, as reivindicações, os desejos e as ansiedades dos jovens estão lá, para quem quiser procurar e compreender”, disse em entrevista ao UOL. “O texto relaciona o sofrimento de Jesus na cruz com o sofrimento do jovem hoje, com as mazelas que aparecem diante do jovem hoje em dia.”
A encenação proposta por Cruz foi aprovada pela Arquidiocese do Rio de Janeiro e passou, ainda, pelo crivo do Vaticano, que vetou uma cena apenas, na qual jovens encarnariam motoboys pilotando possantes motocicletas.  “Concordei plenamente”, diz Cruz sobre o veto. “Achei que eles tinham toda a razão, dada a violência, na verdade, da cena em si”.
A Via Sacra vai percorrer um trecho de 900 metros na avenida Atlântica e será encenada por cerca de 400 pessoas, todas voluntárias. Além destes, Cruz convidou os atores Eriberto França, Murilo Rosa, Cassia Kiss e Narjara Tureta, além da cantora Elba Ramalho e da apresentadora Ana Maria Braga, para breves participações especiais.
São 14 estações, a última delas no palco onde estará o papa Francisco. Ele verá a encenação das 13 estações anteriores por um telão. “Cada quadro tem muitas sugestões, de muitas culturas, inclusive a cultura pop, e também Shakespeare”, promete Cruz.
Diretor da TV Globo, com trabalhos em novelas (“Eterna Magia”), e programas variados, incluindo uma passagem pelo “Domingão do Faustão” e o especial “Criança Esperança”, Cruz levou parte de sua equipe para ajuda-lo na montagem da Via Sacra e, também, na preparação para a vigília que será realizada no sábado, véspera da grande missa que será rezada pelo papa Francisco em Guaratiba, no domingo (28). Segundo o diretor, todos estão trabalhando de graça, cedidos pela emissora.
Escolha sua, uma das atrações da Vigília será o cantor Luan Santana. “A presença do Luan vai atrair para este momento um grupo de jovens que provavelmente estariam dispersos”, conta o diretor.

segunda-feira, 22 de julho de 2013

Exposição no Rio mostra detalhes da simbologia da cruz

Na semana da Jornada Mundial da Juventude, o Rio de Janeiro inaugura exposição que procura mostrar a história da cruz, ícone que transcende o aspecto religioso

Paulo Virgilio, da
Itens do acervo do Museu de Arte Sacra de São Paulo, um dos mais importantes do gênero no país
Itens do acervo do Museu de Arte Sacra de São Paulo, um dos mais importantes do gênero no país: a cruz habita o inconsciente coletivo da humanidade desde os seus primórdios
Rio de Janeiro - Figura geométrica formada por duas linhas ou barras perpendiculares – dividindo uma das duas, ou ambas, ao meio –, a cruz habita o inconsciente coletivo da humanidade desde os seus primórdios. Por sua alusão ao martírio de Jesus, tornou-se o principal símbolo do Cristianismo. Na semana em que o Rio de Janeiro abriga a Jornada Mundial da Juventude (JMJ), com a presença do papa Francisco, o Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) inaugura a exposição Crux, Crucis, Crucifixus – O Universo Simbólico da Cruz, que procura mostrar a história desse ícone, mostrando que ele transcende o aspecto religioso.

A mostra será aberta amanhã (23), às 19h, para convidados, e poderá ser visitada pelo público a partir do dia seguinte, às 9h. São cerca de 150 cruzes, santos, relicários e oratórios dos séculos 18 e 19, em diferentes estilos, técnicas, materiais e origens. Todo o acervo pertence ao Museu de Arte Sacra de São Paulo, um dos mais importantes do gênero no país.
De acordo com a historiadora Dalva de Abrantes, curadora da exposição, a mostra tem duas vertentes: uma histórica e outra estética. “A história do Brasil está desde o início marcada pela presença da cruz. O primeiro nome do país foi Ilha de Vera Cruz, e depois Terra de Santa Cruz. Só em 1527 é passamos a ter o nome de Brasil.”

“A primeira imagem que os índios viram, avistaram do mar, foi as velas das naus, que traziam estampadas umas cruzes vermelhas, da Ordem de Cristo, que praticamente financiou o empreendimento das descobertas. E o primeiro ato em terra foi a missa. Os índios não entenderam nada, mas viram a cruz latina, acompanhada de toda a liturgia católica”, ressalta a historiadora.
Segundo ela, no processo de colonização portuguesa do Brasil, as cruzes continuaram no punhal das espadas, no peito das armaduras, nos brasões, estandartes, joias, monogramas bordados, livros e nas plantas dos edifícios.

Fonte: EXAME

sábado, 20 de julho de 2013

Acervo de arte sacra dos museus de Salvador será divulgado na ExpoCatólica

Os museus de Salvador, com seu rico acervo sacro, são uma opção de turismo religioso na Bahia, que será conhecida pelos visitantes da ExpoCatólica - Bote Fé Brasil, no Riocentro (Rio de Janeiro), desta sexta-feira (19) ao próximo dia 26, em paralelo à Jornada Mundial da Juventude 2013, evento com estimativa de público em mais de um milhão de pessoas de mais de 190 países.

No estande de 200 metros quadrados instalado pela Secretaria do Turismo (Setur) e a Bahiatursa, os visitantes encontrarão informações detalhadas sobre o estado como destino de turismo religioso, receptivo com baianas tipicamente trajadas e exposição de fotos.

O objetivo é ampliar a receita desse tipo de turismo na Bahia e aumentar a participação de visitantes de outros estados no fluxo turístico do segmento católico, pois o público predominante nos eventos religiosos é formado pelos próprios baianos.

Espaço cultural
Museu de Arte da Bahia
Corredor da Vitória - Telefone: (71) 3117-6902
Funcionamento - Terça a sexta-feira, das 13 às 19h; sábado, domingo e feriado, das 14 às 19h

Museu da Ordem Terceira do Carmo
Ladeira do Carmo, s/n - Telefone: (71) 3242-0182
Funcionamento - Segunda a sexta-feira, das 9 às 17h; sábado, das 9 às 15h

Museu Abelardo Rodrigues
Rua Gregório de Mattos, 45, Pelourinho. Telefone: (71) 3117-6440
Funcionamento - Terça a sexta, das 12 às 18h; fins de semana e feriados, das 12 às 17h

Ordem Terceira de São Francisco
Rua da Ordem Terceira, no Centro Histórico
Funcionamento - Segunda-feira a domingo, das 9 às 17h

Museu de Arte Sacra
Rua do Sodré, 276
Funcionamento - Segunda a sexta-feira, das 11h30 às 17h30

Fonte: SECOM - BA

sexta-feira, 19 de julho de 2013

Marcos Cavalcanti vai lançar obra literária que mostra arte sacra de Igrejas da Capital


O desembargador Marcos Cavalcanti de Albuquerque, do Tribunal de Justiça da Paraíba e atual presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PB), lançará no próximo dia 24 mais uma obra literária. O livro, que é sua décima terceira criação, tem como título “Complexo Arquitetônico Carmelita da Paraíba – Arte Sacra nas Igrejas do Carmo e Santa Tereza”. Além de português, o trabalho traz no mesmo volume a versão em inglês, francês e espanhol.

O lançamento acontecerá a partir das 17h, na Sala de Sessões do Tribunal Pleno, dentro da programação da Agenda Cultural do TJPB, promovida pela Comissão de Cultura e Memória do Poder Judiciário Paraibano, que, sob a presidência do desembargador Marcos Cavalcanti, vem apoiando atividades na área artístico cultural.


A obra trata da arquitetura barroca colonial das Igrejas do Carmo, de Santa Tereza D’Ávila e do convento que hoje é o Palácio do Arcebispo, segundo informou o autor. “Historicamente, nós temos quatro ordens religiosas que ajudaram os portugueses na colonização da Província da Paraíba; os Jesuítas, os Franciscanos, os Beneditinos e os Carmelitas, e cada um tem suas características nas construções. Se visitando as igrejas e os conventos nós vemos como há diferenças entre essas quatro ordens religiosas”, explicou.
O desembargador Marcos Cavalcanti acrescentou que sua obra traz, com fotografias, identificação e explicação, a riqueza de detalhes dos arcos, das imagens, da arte sacra, dos púlpitos, do forro, dos altares das igrejas. Descreve também, minuciosamente, os móveis da sacristia, como as cômodas, as estalas dos frades, as pias de água benta, as sacadas das igrejas, os azulejos, que são importados de Portugal, onde cada um deles representa uma passagem da Ordem Carmelita.

O livro foi editado com versões em quatro línguas, como forma de possibilitar a leitura aos turistas estrangeiros que visitam o Estado. Além disso, existe na obra um glossário explicando os termos comuns da época do barroco colonial. “Nós temos História, Literatura e Arquitetura. Existe uma série de palavras que na realidade nós só entendemos vendo esse complexo antigo arquitetônico e uma tradução como o barroco, que é um estilo arquitetônico que surgiu na Europa no século XVII. É uma obra também destinada não só a historiadores e arquitetos, mas especialmente a turistas que visitam a Paraíba”, disse Marcos Cavalcanti.
Ele destacou as participações na obra da ex-primeira dama do estado e historiadora, Glauce Maria Navarro Burity, responsável pela apresentação do livro, que é também autora de um trabalho sobre a igreja do Convento de São Francisco, e do Padre carmelita Frei Luiz Nunes Pereira, pároco da cidade histórica de Olinda, que fez o prefácio. No epílogo, o autor explicou sobre as dificuldades e complexidades para estudar o tema e compôr a obra.

Mais livros – Marcos Cavalcanti informou que está concluindo mais três livros, que serão lançados ainda este ano. “Estou com uma obra na gráfica sobre o centenário de um grande político paraibano, nascido em Mamanguape, que foi o deputado José Fernandes de Lima, traçando a biografia dele e esse livro deverá ser lançado agora em agosto. E estou ultimando mais duas obras, a história do Tribunal Regional da Paraíba, como nós temos do TJ, de Deusdete de Leitão, estou escrevendo uma obra similar sobre o TRE, e uma outra sobre a história da Academia Paraibana de Letras”, concluiu.

Gecom – Lila Santos
Fonte: Poder judiciário do Estado da Paraiba

quinta-feira, 18 de julho de 2013

Cariocas podem participar de prévia dos Itinerários da Fé da JMJ

Cariocas, voluntários e peregrinos que estão no Rio de Janeiro já podem participar da prévia dos Itinerários da Fé, que fazem parte da programação do Festival da Juventude da JMJ. O Projeto de Extensão “Igrejas Históricas na Cidade do Rio de Janeiro – Descobrindo e Revelando seus Acervos” da UNIRIO vai começar na próxima semana com visitas mediadas por alunos da Universidade em sete igrejas do Centro Histórico do Rio. Para participar basta agendar através do e-mail da organização.

Na JMJ Rio2013, a partir do dia 20 de julho até 26 de julho os peregrinos poderão conhecer 34 igrejas históricas do Rio e de Niterói, subsede da Jornada. Em estilo rococó e barroco, estas igrejas revelam traços da cultura, arquitetura e arte do período colonial brasileiro, além de proporcionar aos peregrinos um belo momento de meditação e contemplação através da obra de importantes artistas sacros. O projeto na JMJ é uma parceria do Setor Atos Culturais da JMJ com a UNIRIO e UNILASALLE.

As visitas guiadas dessa primeira prévia serão realizadas no Mosteiro de São Bento, Igreja da Ordem Terceira de São Francisco da Penitência, Igreja de São Francisco de Paula, Igreja da Nossa Senhora Mãe dos Homens, Igreja da Ordem Terceira de Nossa Senhora do Monte do Carmo, Igreja da Santa Cruz dos Militares e Igreja da Nossa Senhora da Lapa dos Mercadores.

Para agendar, basta enviar um e-mail para agendamento.igrejashistoricas@gmail.com ou agendamento.igrejashistoricas@unirio.br

Itinerários da Fé da JMJ

Para JMJ Rio2013 foram escolhidas 34 edificações entre Igrejas, Basílicas, Mosteiros, Catedrais, Capelas e Museus. O objetivo é conduzir os peregrinos ao conhecimento da fé e da história do povo que acolhe essa edição da Jornada, além de favorecer a experiência da beleza do encontro com Cristo através da arte e da história.

Os Itinerários, que começam no dia 20 de julho, serão realizados de 8h às 20h dependendo dos horários traçados por cada igreja. As edificações escolhidas são:

-No Rio de Janeiro:

Catedral Metropolitana de São Sebastião do Rio de Janeiro e Museu Arquidiocesano de Arte Sacra
Santuário Nacional de Nossa Senhora da Penha de França
Igreja Nossa Senhora Mãe dos Homens
Igreja da Santa Cruz dos Militares
Igreja Santa Rita
Basílica do Imaculado Coração de Maria
Igreja de Nossa Senhora da Candelária
Igreja da Ordem Terceira de São Francisco de Assis da Penitência
Convento Santo Antônio
Igreja da Lapa dos Mercadores
Igreja da Ordem Terceira de Nossa Senhora do Monte Do Carmo
Igreja de São José
Basílica de Santa Teresinha do Menino Jesus
Igreja de Nossa Senhora da Glória do Outeiro
Igreja Nossa Senhora do Carmo (Antiga Sé)
Igreja de Nossa Senhora do Carmo da Lapa do Desterro
Igreja Santa Luzia
Mosteiro São Bento
Igreja do Santíssimo Sacramento (Antiga Sé)
Basílica da Imaculada Conceição
Igreja São Francisco de Paula
Igreja Matriz de São João Batista da Lagoa
Convento de Santa Teresa
Igreja de Nossa Senhora da Conceição e Boa Morte
Igreja de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito dos Homens Pretos
Igreja Nossa Senhora do Bonsucesso
Igreja Santo Inácio
Igreja Matriz de Nossa Senhora da Glória

- Em Niterói:
Catedral Metropolitana de São João Batista
Igreja São Lourenço dos Índios
Basílica de Nossa Senhora Auxiliadora
Igreja São Francisco Xavier
Igreja de Nossa Senhora da Conceição
Igreja de Nossa Senhora da Boa Viagem

Fonte: http://www.rio2013.com/ Aliança de Misericórdia

quarta-feira, 17 de julho de 2013

Curso Livre: Princípios de Conservação Preventiva de Acervos





Inscrições abertas!
Curso: Princípios de Conservação Preventiva de Acervos no Museu de Arte Sacra de São Paulo
Docente: Beatriz Augusta Cruz, museóloga
Inscrições: mfatima@museuartesacra.org.br

Início » Notícias » Brasil Associação Pontifícia Ajuda à Igreja que sofre terá exposição missionária no Largo da Carioca

Rio de Janeiro,  (ACI).

A associação católica internacional Ajuda à Igreja Que Sofre, recentemente elevada à categoria de pontifícia e cuja missão é ajudar os cristãos mais necessitados em todo o mundo, e de maneira especial aqueles que são perseguidos, estará promovendo como parte dos eventos culturais da JMJ, uma exposição multimídia no Largo da Carioca, um dos lugares mais transitados do centro do Rio entre os dias 22 e 27 de julho e que leva por título “Missionários somos todos!”, seguindo a proposta do tema da própria Jornada.

Além de visitar a exposição, os milhares de jovens que passarão pelo local poderão rezar ao Senhor Sacramentado na capela montada em uma das tendas da exposição e receber o aconselhamento dos mais de 40 sacerdotes de diferentes nacionalidades que estarão presentes no evento. O Local também será um dos pontos oficiais para confissões durante a Jornada.

A associação já vem colaborando com a JMJ Rio 2013 de diversas formas. Uma das iniciativas da AIS por ocasião da Jornada foi oferecer gratuitamente para as dioceses do Brasil 1 milhão e meio de exemplares do YouCat, o catecismo juvenil da Igreja. Além da exposição multimídia que exibirá objetos e imagens dos locais de missão, a entidade está trazendo artistas da Jamaica, da China e da Irlanda para apresentar-se no Festival da Juventude da JMJ.

“Esperamos que nossa exposição missionária, feita para que os jovens tenham uma melhor ideia sobre o que a Igreja realiza em terras de missão, ajude os peregrinos a sentir-se tocados e animados a assumirem a missão de anunciar a Boa Nova e ajudar os necessitados”, afirma José Lúcio Corrêa, diretor executivo da AIS no Brasil.

“Durante a nossa exposição haverá uma exibição de imagens, objetos artísticos trazidos de países distantes e testemunhos de jovens chineses, sudaneses, jamaicanos e peruanos sobre a situação e necessidades da Igreja em seus países. A AIS também ajudou jovens estrangeiros de escassos recursos que desejavam vir à Jornada Mundial da Juventude – provenientes de países como Egito, Iraque e Haiti – com uma ajuda econômica para os gastos de sua viagem. Nos dias da Exposição organizaremos com jovens brasileiros, em plena praça pública, um ‘flashmob’ falando da missão da juventude de ir a todo o mundo e fazer discípulos entre as nações”, ressalta o diretor.

“O Rio é uma das cidades mais bonitas do mundo, pois reúne montanhas, mar e parques, além de ser conhecida por acolher de braços abertos seus visitantes. Certamente, da mesma forma acolherá os jovens brasileiros e estrangeiros que chegarão repletos de alegria, entusiasmo e música.
Os brasileiros amam a música – prossegue o diretor - e por isso AIS estará trazendo para o Festival da Juventude da JMJ músicos da Jamaica, Irlanda (incluindo dois campeões olímpicos de dança) e da China”. “Todos partilharão seus talentos e testemunhos de fé com os demais jovens presentes”, disse.

“Os brasileiros não só amam o Papa Francisco por proceder do país vizinho da Argentina; é sua simplicidade e seu carisma que o torna tão querido. Em resumo, estamos felizes por receber jovens de todo o mundo no nosso país e esperamos que nossa exposição missionária e o testemunho dos artistas que traremos, ajude os peregrinos a voltarem aos seus lugares de origem comprometidos com a causa de serem discípulos e missionários do Senhor Jesus”, concluiu José Corrêa.

A exposição, que será realizada no Largo da Carioca, terá entrada livre e estará em funcionamento entre os dias 22 e 27 de julho das 08h00 às 18h00, e de 24 a 26 de julho das 08h00 às 17h00. 

O vídeo sobre a exposição pode ser visto no canal Youtube da AIS em:http://youtu.be/g8_5TC6mHfA

terça-feira, 16 de julho de 2013

Preciosidades que celebram a arte e a fé


Sobre este último, havia dificuldades inerentes à negociação com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), que ocasionaram uma pausa a partir de 2011. Mas a situação, enfim, se reverteu. “Aquele hiato foi difícil, pois foram três anos e meio de um trabalho intenso. Porém, aconteceu um fato muito bonito: toda a cidade pediu a construção do Museu de Sant’ Anna. Em cinco dias, ele foi aprovado e o projeto foi publicado no ‘Diário Oficial’. Já fiz a captação dos recursos pelo BNDES, as obras começaram, e acredito que em um ano e meio ele será entregue à população”, comemora.

São 260 imagens que a empresária doou ao Iphan. Um acervo precioso datado dos séculos XVII, XVIII e XIX. “São Sant’ Annas de todas as regiões do Brasil. As peças são lindas e revelam a força da presença feminina na fé cristã. Tenho certeza de que ela (Sant’Anna) ajudou na realização desse sonho”, atribui.

O fator perseverança também foi imprescindível, aliado à escolha de uma equipe de peso para a idealização do Museu de Sant’Anna. “Já que estou falando em primeira mão para O TEMPO, não poderia deixar de citar os envolvidos”, considera. Ângela Gutierrez conta que o projeto arquitetônico tem a assinatura de Gustavo Penna, a museografia é de Pedro Mendes da Rocha. Ângela Dourado é responsável pela identidade visual, Pedro Pederneiras, do Grupo Corpo, pela iluminação. A consultoria é do artista plástico e professor da UFMG José Alberto Nemer.

Fila. Ângela Gutierrez diz que recebeu como uma honra o convite da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) para expor “Oratórios: Relíquias do Barroco Brasileiro” no Museu Nacional de Belas Artes, ao lado do grande evento dessa temporada, “A Herança do Sagrado: Obras-Primas do Vaticano e de Museus Italianos”. As exibições celebram a primeira visita do papa Francisco ao país, entre 22 e 28 de julho.

“São 115 peças, entre oratórios, imagens, adornos, palmas e castiçais. Estar ao lado dessa grande exposição é muito importante, sobretudo para essa arte tão presente na tradição de Minas Gerais”.

Para estabelecer um interessante contraponto às relíquias do Vaticano, compostas por obras de nomes como Leonardo da Vinci, Michelangelo e Caravaggio, Ângela optou por pinçar registros de uma arte extremamente popular. “As pessoas saem impressionadíssimas com o peso que os oratórios têm também nas mãos do artista popular, desconhecido, que entalhou aquelas imagens a partir do seu talento e da força de sua religiosidade. No fim, tudo é fé. Mesmo quem não é católico fica impressionado. O objeto de fé é um objeto de arte”, diz.

A presidente do Instituto Flávio Gutierrez conta que a mostra veio diretamente de uma bem-sucedida temporada expositiva em Quito, no Equador. “Foram três meses em cartaz. E o espectador pode perceber o convívio de elementos da arte sacra pura e a feita no Brasil, com as referências da cultura africana. É o sincretismo que traz santos como Cosme e Damião, entidades do candomblé para a fé católica”, explica Ângela.


O barroco popular com o viés rústico e de intensa produção a partir do século XVII em exposição neste recorte reserva também nomes conhecidos. Há pinturas internas em oratórios atribuídas ao Mestre Ataíde. “Trata-se de uma mostra bem compacta, porém bastante completa. A força do misticismo, os trabalhos afro-brasileiros bastante característicos provocam uma grande empatia. Tanto que o Museu Nacional de Belas Artes criou um horário estendido. Às 9h da manhã já havia gente na fila, é impressionante, fiquei muito feliz”.

“Oratórios: Relíquias do Barroco Brasileiro” fica em cartaz na capital fluminense até o dia 18 de agosto. Sua próxima itinerância é justamente o palco da realização de um dos grandes projetos de Ângela Gutierrez. As peças serão apreciadas durante o Festival Internacional de Gastronomia de Tiradentes.

segunda-feira, 15 de julho de 2013

Cardeal Rylko inaugura a exposião de arte sacra no RJ

Rio de Janeiro (RV) – O Presidente do Pontifício Conselho para os Leigos, Cardeal Stanisław Ryłko, participou, no último domingo, 7, da inauguração da Exposição, por ocasião da JMJ⁄Rio2013, intitulada “Nas pegadas de Cristo. Obras-primas de arte do Vaticano e da Itália”. 

Trata-se de verdadeiras obras-primas de arte do Vaticano e da Itália. A exposição realiza-se no Museu Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro, por iniciativa da Fundação João Paulo II para a Juventude, junto ao Pontifício Conselho para os Leigos.

Os visitantes poderão contemplar, até dia 12 de outubro próximo, uma seleção de mais de 100 obras, objetos de arte e manuscritos, de pintores, como Leonardo da Vinci, Michelangelo, Tiziano e Caravaggio.

Na inauguração da exposição, o Presidente do organismo vaticano, Cardeal Stanisław Ryłko, fez um discurso, no qual disse: “Esta Exposição, que hoje é inaugurada, - a oitava realizada nas JMJ, - é inspirada no tema deste evento, proposto pelo Papa Francisco: “Ide e fazei discípulos entre todas as nações” (cf. Mt 28,19).

O objetivo desta Exposição é oferecer à cidade do Rio de Janeiro uma iniciativa de alto nível cultural, como reconhecimento à Igreja no Brasil, às autoridades civis e todos os brasileiros pela organização deste evento mundial e pelo acolhimento que darão aos jovens do mundo inteiro. O patrimônio da arte é expressão da beleza, como esta inaugurada nesta noite, que ajuda o homem a entrar em contato mais íntimo com o Divino.

Logo, a visita a esta Exposição representa uma verdadeira “catequese visual”, além daquelas que serão presididas pelos Bispos durante esta JMJ, de 23 a 28 próximos. O percurso desta Exposição apresenta quatro etapas muito significativas: “Cristo, caminho de salvação”; “Vocação e missão dos Apóstolos”; “Maria, caminho para Cristo; “Santos, modelos e testemunhas de vida cristã”.

O Cardeal Rylko concluiu seu discurso, “expressando, em nome do Pontifício Conselho para os Leigos, seus profundos agradecimentos a todos os que contribuíram para a realização deste importante evento, no âmbito da JMJ⁄Rio2013”.

Por fim, ele acrescentou: “O Santo Padre Francisco foi informado sobre este importante evento cultural e artístico e autorizou-me a apresentar a todos os participantes, na cerimônia de inauguração, a sua cordial saudação e a sua Bênção”. (MT)



Texto proveniente da página
do site da Rádio Vaticano 

domingo, 14 de julho de 2013

Fiocruz Oferece Curso de Graça sobre Arte e Técnica do Afresco

O professor será o artista plástico Lydio Bandeira de Mello. O famoso mural da Caixa Cultural, no Centro do Rio de Janeiro, é de sua autoria
O curso "A Arte e a Técnica do Afresco” está com inscrições abertas até o próximo dia 19 de julho. As aulas, em agosto, serão com o artista plástico e professor Lydio Bandeira de Mello, um dos mais importantes do país nesta arte, na Oficina-Escola de Manguinhos (OEM) da Casa de Oswaldo Cruz (COC), unidade técnico-científica da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).
Com 12 vagas oferecidas, o curso – gratuito – é dividido em quatro módulos com carga horária total de 576 horas. O candidato inscrito também passará por um processo de seleção, composto de 3 etapas eliminatórias, onde terá que demonstrar aptidão para as artes. Podem participar alunos – a partir de 18 anos, preferencialmente da região do entorno da Fundação Oswaldo Cruz, em Manguinhos. Os estudantes vão participar desde a elaboração e o desenvolvimento de um projeto artístico até sua execução na referida técnica, por meio de aulas teóricas e práticas em ateliê e em campo, com a execução de murais em edifícios de uso público em áreas perto dos campi da Fiocruz em Manguinhos (zona norte) e em Jacarepaguá (zona oeste), como Trabalho de Conclusão de Curso (TCC).
O curso “A arte e a técnica do afresco” terá aulas de 21 de agosto deste ano a 19 de dezembro de 2014. A iniciativa também pretende assegurar às futuras gerações um saber artístico e técnico que vem correndo riscos de extinção. A Oficina-Escola de Manguinhos integra o Núcleo de Educação Patrimonial do Departamento de Patrimônio Histórico da Casa de Oswaldo Cruz, unidade técnico-científica da Fiocruz.
O Afresco
Trata-se de importante técnica de pintura mural (ou parietal), tendo sua origem há cerca de 5 mil anos na Mesopotâmia e no Egito. Foi muito utilizada por gregos e romanos na Antiguidade Clássica e pelos mestres italianos do Renascimento, chegando até os nossos dias. A técnica consiste em pintar diretamente sobre o revestimento ainda fresco da parede, em argamassa de cal, com pigmentos diluídos em água que penetram e a ele se fundem. O processo resulta em uma pintura com grande riqueza de efeitos, desde a transparência das aquarelas até a opacidade das têmperas, e livre de reflexos, o que garante sua leitura a partir de qualquer ângulo de observação.
No Brasil, registros de pintura mural em afresco foram encontrados desde o período colonial, sobretudo após a chegada da família real e da Missão Francesa, mas a técnica só ganhou evidência no início do século 20 com as obras monumentais do ecletismo e do modernismo arquitetônico brasileiro. Desse período, destacam-se na cidade do Rio de Janeiro as pinturas de Eliseu Visconti no Theatro Municipal, Cândido Portinari no Palácio Gustavo Capanema e em Porto Alegre, as pinturas de Aldo Locatelli no Palácio Piratini.
Lydio Bandeira de Mello
Aos 84 anos, mineiro de Leopoldina, Bandeira de Mello é hoje um dos raros artistas brasileiros que dominam com precisão a técnica do afresco. Desde a sua graduação, pela Escola Nacional de Belas Artes (Enba) em 1951, tem recebido vários prêmios e demonstrações de apreço por sua grandiosa obra, realizada sempre com muito talento e apuro técnico.
Serviço:
Curso de pintura tradicional "A Arte e a Técnica do Afresco”
Local: Oficina-Escola de Manguinhos - Av. Brasil, 4.365 – Rio de Janeiro.
Período: de 21 de agosto de 2013 a 19 de dezembro de 2014.
Sobre o curso: Coordenação da Oficina-Escola de Manguinhos
Tel: (21) 3865-2220
E-mail: oem@fiocruz.br
Sobre a inscrição: Secretaria Acadêmica da Casa de Oswaldo Cruz
Tel: (21) 3865-2234

sexta-feira, 12 de julho de 2013

Virada Renascentista tem programação musical profana

Apresentações acontecem nos arredores do CCBB

Quem quiser visitar a mostra “Mestres do Renascimento: Obras-primas Italianas” durante o período da Virada Renascentista – que mantém as portas do CCBB abertas durante toda a madrugada do dia de inauguração da exposição, no sábado, dia 13, das 20h às 3h -, também pode aproveitar o evento “Renascimento: Variações sobre o Mesmo Tema”, que acontece nas imediações do prédio. São apresentações musicais que têm como tema a música profana. A entrada é Catraca Livre.

divulgação
divulgação
O público que visitar a Virada Renascentista vai presenciar concertos de música profana nas imediações do CCBB

A iniciativa tem por objetivo possibilitar a um público diversificado o contato com as transformações propostas no período histórico exposto na mostra (final da Idade Média e início da Idade Moderna), que deu origem a uma revolução na forma de pensar e enxergar o mundo. Além da trilha profana, que abre a programação, acontecem outros concertos ao longo do período expositivo, dessa vez, com música sacra.
A série profana celebrada durante a madrugada de abertura fica a cargo do Madrigal Matrix, um coletivo audiovisual que tem curadoria do DJ Valter Nu e participações de Mirton de Paula e Rodolfo Valente, entre outros DJs. Nas apresentações, o público ouve releituras de clássicos renascentistas devidamente reproduzidas e mixadas. O evento conta, ainda, com o músico Martin Willy tocando online de Berlim para a capital paulista. Além disto, imagens são projetadas nos prédios vizinhos.
Já a série de música sacra, com curadoria do maestro Julio Medaglia, é protagonizada por grupos e músicos de reconhecido repertório renascentista, como Audi Coelum (28 de julho, às 12h15), Brassuka e Il Doce Balo (ambos em 11 de agosto, às 16h). Também está prevista uma grandiosa apresentação de orquestra e coro (20 vozes, 25 instrumentistas, 2 solistas vocais e 1 solista de violino) no encerramento da temporada, em 8 de setembro, às 16h, sob a regência de Medaglia.
Mestres do Renascimento
Em cartaz no CCBB entre 13 de julho e 23 de setembro, a mostra inédita “Mestres do Renascimento: Obras-primas italianas” apresenta 57 obras de um dos mais influentes movimentos artísticos da história da humanidade, em um panorama do florescimento cultural dos séculos 15 e 16, marcada pela revalorização da cultura clássica. Com entrada Catraca Livre, a exposição apresenta mestres como Rafael, Ticiano, Tintoretto, Leonardo da Vinci e Michelangelo.

Exposição: "Mestres do Renascimento - Obras-primas italianas"

Mestres do Renascimento – Obras-primas Italianas

13 Jul a 23 Set
Local: Subsolo, 1º, 2º, 3º e 4º andares | CCBB SP
Horário: Quarta a segunda das 9h as 21h

 
A exposição, com mais de cinquenta obras-primas provenientes de importantes coleções italianas, públicas e privadas, apresenta ao público brasileiro a extraordinária riqueza da arte italiana no momento de seu apogeu, o Renascimento. As obras expostas: pinturas, esculturas e desenhos, foram selecionadas com o intuito de mostrar aos visitantes o percurso do movimento renascentista em toda a Itália. Estão previstas obras de Rafael Sanzio, Ticiano, Sandro Botticelli, Lorenzo Lotto, Andrea Mantegna, Perugino, Tintoretto, Giovanni Bellini, Fra Bartolomeo, Ghirlandaio, Donatello, Dosso Dossi, Michelangelo Buonarroti, entre outros. Curadoria de Alessandro Delpriori.
 
Informações
Data:De 13 de julho a 23 de setembro de 2013Idade recomendada:

Horário:Quarta a segunda das 9h as 21h
Local:Subsolo, 1º, 2º, 3º e 4º andares | Rua Álvares Penteado, 112 - Centro
Bilheteria:Quarta a segunda, das 9h às 21h | Telefone: (11) 3113-3651/52
 Ingressos:Entrada Franca

Museu de Arte Sacra de São Paulo abre exposição neste sábado

Mostra sobre São Francisco de Assis faz parte da semana pré-Jornada Mundial da Juventude



O Museu de Arte Sacra de São Paulo abre neste sábado, 13, a exposição "São Francisco de Assis, das Chagas, de Todo Mundo". A mostra é uma homenagem à visita do Papa Francisco ao Brasil, durante a pré-Jornada Mundial da Juventude, e é dedicada a São Francisco de Assis, um dos santos mais populares do país.
O espaço será ambientado com plotagens, reproduzindo a decoração de uma igreja para que os visitantes se sintam no interior da Igreja de São Francisco de Assis, de São João Del Rei, em Minas Gerais.

Esta semana, conhecida como Pré-Jornada ou Semana Missionária, acontece em São Paulo entre os dias 16 e 20 de julho, e a programação inclui, além da exposição, atividades culturais, visitas históricas, momentos de oração e celebração nos santuários e locais de peregrinação.
O objetivo desta semana preparatória para a Jornada Mundial da Juventude é disseminar a oração, a solidariedade e a cultura por meio das atividades, promovendo a aproximação dos participantes com a igreja.

Fonte: Governo do Estado de São Paulo
SERVIÇO 
Exposição São Francisco de Assis, das Chagas, de Todo Mundo
De 13 de julho a 11 de agosto, às 13h
Museu de Arte Sacra de São Paulo (Avenida Tiradentes, 676 - Luz, São Paulo)
Tel.: (11) 3326-5393 - visitas monitoradas
Ingresso R$ 6,00 (estudantes pagam meia); grátis aos sábados
www.museuartesacra.org.br

Tesouro sacro é descoberto em Minas

Peças de igrejas de Berilo, no Vale do Jequitinhonha, foram encontradas em cofre num posto de saúde desativado 30 anos depois de desaparecerem. Moradores comemoraram.

Dentro do cofre, aberto na presença de autoridades, estavam castiçais, lampadário, coroas e vários outros objetos.
Tesouro trancado a sete chaves abre as portas para o conhecimento e admiração. Um achado surpreendente enriquece a cultura de Berilo, no Vale do Jequitinhonha, a 537 quilômetros de Belo Horizonte, e põe fim a uma história de mistério que já durava mais de três décadas. Conforme foi divulgado ontem, mais de 30 peças sacras foram encontradas num cofre localizado num antigo e desativado posto de saúde no Centro da cidade de 13 mil habitantes. A população comemorou a descoberta do patrimônio, que inclui imagens, castiçais, lampadário, resplendores, coroas, objetos usados em festas do congado, um ex-voto e outros objetos de prata e madeira. “Estamos muito felizes, pois há muito tempo os moradores vêm cobrando que o armário fosse aberto”, disse o titular da paróquia de Nossa Senhora da Conceição, padre Charleston Pereira Lima.
Segundo padre, as peças foram transportadas para um local fora da cidade a fim de garantir a segurança do acervo. “Muitas delas, principalmente as de madeira, estão bem deterioradas, necessitando de restauração. Estamos providenciando uma forma de recuperá-las”, explicou. O pároco contou que a abertura do armário-cofre, que tem 2 metros de altura e 90 centímetros de largura, foi possível graças a uma solicitação do ex-promotor da comarca de Minas Novas Wagner Aparecido Rodrigues Dionísio e posterior condução do procedimento pelo atual promotor Erick Anderson Caldeira Costa. Para abrir o cofre, que tinha um segredo e não tinha cadeado, foi chamado um especialista de Araçuaí.
“A abertura do cofre provocou uma verdadeira comoção em Berilo. As pessoas ficaram esperando na praça, perto do antigo posto de saúde, até que o serviço do chaveiro terminasse”, disse, ontem, a historiadora Paula Novais, da Coordenadoria das Promotorias de Justiça de Defesa do Patrimônio Cultural e Turístico de Minas Gerais (CPPC). Paula explicou à população o que estava sendo feito e teve a oportunidade de ouvir histórias envolvendo o misterioso cofre. “Havia muita lenda em torno do assunto. Alguns acreditavam até que o armário guardasse ossadas”, afirmou a historiadora, que elaborou um laudo sobre todo material encontrado.
Acervo
As peças ganharam a “liberdade” em 14 de junho na presença do padre Charleston, do promotor Erick, do bispo de Araçuaí, dom Marcelo Romano, o prefeito de Berilo, Igor Coelho, representantes da Polícia Militar e outros. As primeiras investigações mostram que o acervo pode ter pertencido à antiga Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos, do século 18 e demolida em 1988, e à Matriz de Nossa Senhora da Conceição. Segundo o coordenador do CPPC, promotor de Justiça Marcos Paulo de Souza Miranda, o tesouro será agora incluído na relação dos bens recuperados em Minas. “Trata-se de uma descoberta de grande relevância, mas o maior desafio é a restauração do acervo”, afirmou.
Para os moradores e gestores culturais, a abertura do cofre foi da maior importância. “Desde a demolição da Igreja de Nossa Senhora do Rosário a nossa cultura popular ficou mais pobre. A coroa agora encontrada pode ser da imagem, que é reverenciada pelos integrantes do congado. No lugar onde havia a igreja, hoje existe uma praça e todo mundo se lembra do adro onde sempre ocorreu a festa do Rosário”, conta o agente cultural Alessandro Borges Araújo. As peças estão sob guarda da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição.
Fonte: em.com.br
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...